sábado, 21 de março de 2020

UFO


Nome: UFO
Editora: NA
Autor: Packobilly Urbaneja
Género: Acção
Ano de lançamento: 2020
Teclas: Redefiníveis
Joystick: Kempston, Sinclair
Memória: 48 K
Número de jogadores: 1

E de repente surge um novo programador com novos trabalhos (Papyrus também de alguma forma está relacionado com Packobilly). Se é apenas um programador, ou algum colectivo, ainda não percebemos, mas também se irá saber mais tarde ou mais cedo.

UFO é o típico jogo criado com o Arcade Game Designer, com uma jogabilidade interessante, mas com algumas limitações que afectam a sua longevidade, como iremos ver mais à frente. Assim, num misto de shoot'em'up e plataformas, e não fazendo caso da ironia do programador, que diz que é um jogo com um argumento nunca visto ("A game with a never seen before argument!"), controlamos um corajoso astronauta que tem que fazer face a uma ameaça alienígena. Para cumprir com a sua missão, aterrou na base inimiga e tem agora que encontrar cinco cargas explosivas, activá-las, e por fim rapidamente voltar ao foguetão que o irá trazer de volta à Terra, sem ser apanhado na explosão.


O desafio não é particularmente difícil, com excepção da última parte, e já veremos a razão. Assim, enquanto deambulamos pelos corredores da nave à procura das cinco cargas, temos todo o tempo deste mundo e do outro, para calmamente irmos evitando os obstáculos com que nos deparamos. Por vezes alguns dos inimigos têm que ser eliminados com o laser que teremos em nosso poder, depois de o apanharmos num dos primeiros ecrãs assim que chegamos à base. Mas este tem munições limitadas e dispara com demasiada facilidade, pelo que é necessário alguma contenção e poupar as munições para quando realmente são precisas. Pelo meio vamos podendo recarregar a arma.

Depois de encontrarmos as cinco cargas, recolhendo também as chaves que abrem novas zonas da nave, há que activar a bomba. Sabe-se lá porquê, mas a forma de a activar é eliminando um ser semelhante a uma cobra mecânica e que abre a porta de acesso à última carga. Assim que a apanhamos, automaticamente a bomba é activada, e ai sim, é preciso correr pela nossa vida. O "countdown" é iniciado e temos que chegar ao foguetão que nos vai trazer de volta antes que o relógio chegue a zero. Foi a única parte que sentimos alguma dificuldade neste jogo, pois não teremos tempo para respirar e em alguns dos ecrãs, assim que entramos, levamos com um inimigo em cima.


O nosso astronauta vem também equipado com um sistema propulsor ("jetpack"), que tem carga limitada, mas que no entanto é reposta assim que o deixamos de utilizar. É necessário usá-lo com alguma parcimónia, não nos vá faltar quando mais é preciso.

UFO consegue ser divertido, mas não durante muito tempo. E aqui reside a sua principal pecha: deverá ter apenas cerca de duas dezenas de ecrãs. Quer isso dizer que ao final de meia hora já se terminou o jogo (já conseguimos ver alguém terminar em cinco minutos), o que reconheça-se é pouco, limitando bastante a sua longevidade. Mas tendo em conta que o jogo é inteiramente gratuito, também não nos podemos queixar, não é?

Assim, não sendo nada de extraordinário, assinale-se a estreia de mais um programador, que conseguiu criar um desafio divertido, embora de curta duração.

Sem comentários:

Publicar um comentário