sábado, 4 de abril de 2020

Coloristic


Nome: Coloristic
Editora: NA
Autores: Daniel Krautwurst & SinDiKat
Género: Puzzle
Ano de lançamento: 2020
Teclas: Não redefiníveis
Joystick: Não
Memória: 48 K / 128 K
Número de jogadores: 1

Colorist é uma conversão de um quebra-cabeças que apareceu originalmente para os telemóveis, sendo indicado para matar os tempos mortos. Nem sempre estes "ports" funcionam, ainda mais quando temos obrigatoriamente que usar um teclado em vez de um ecrã táctil, mas não é aqui o caso, adiante-se já.

O desafio é muito simples: é-nos apresentado um tabuleiro com quadrados vazios (em branco) ao início e com uma a quatro peças de diferentes cores com um número associado. Esse número indica o número de casas que a peça se pode mover, e, à medida que se vai movendo, as casas vão ficando preenchidas com a cor da peça e o número vai diminuindo, sabendo-se imediatamente o numero de movimentos que ainda é possível fazer. Além disso, quando as casas já foram preenchidas, não é possível passar-se por cima delas, pelo que é forçoso planear-se muito bem o caminho. O objectivo final é preencher o tabuleiro todo, completando assim o nível.


O quebra-cabeças tem 80 níveis, e se os primeiros são imediatos e muito fáceis, tendo maioritariamente apenas uma peça, quanto muito duas de cores diferentes, à medida que vamos avançando, a dificuldade vai gradualmente subindo. Não só porque o tabuleiro aumenta de tamanho, com diversos obstáculos pelo meio (casas que não podem ser preenchidas), e que é necessário contornar, mas porque começam também a aparecer outro tipo de obstáculos, nomeadamente:
  • Casas com uma seta que indicam a direcção com que podem ser preenchidas.
  • Casas com pequenos pontos com cores específicas e que só podem ser preenchidas por peças da mesma cor.
  • Peças que concedem movimentos extra, o que não deixando de ser uma importante ajuda, fundamental para se poder preencher o tabuleiro na totalidade, tem um forte elemento estratégico, uma vez que apenas será benéfica para uma determinada peça.
  • Pequenos cadeados que desbloqueiam casas no tabuleiro, que doutra forma não poderiam ser preenchidas, também aqui havendo um forte elemento estratégico, pois impõe que em alguns níveis as peças tenham que ser movimentadas numa ordem específica, por vezes com movimentos parciais e alternados.
  • E, finalmente, casas que permitem passar para o ponto oposto no tabuleiro, ou até saltar uma casa.
Como se pode verificar, nos níveis mais avançados é necessário delinear muito bem o que se vai fazer, pois qualquer passo em falta implica ter que se recomeçar o nível. Felizmente que poderemos recomeçá-lo sempre que quisermos, pois não existe "game over", e sempre que terminamos um nível, é-nos dado um código que nos permite recomeçar do ponto onde ficámos.


As restantes opções ao nosso dispor em Coloristic incluem a selecção de qual a peça que desejamos mover (teclas '1' a '4'), a tecla 'U'(ndo) para voltar atrás (atenção que anula todos os movimentos feitos com a última peça), a  tecla 'L'(evel) que mostra um mapa com os níveis que já completámos e os que se encontram por completar, a tecla 'I'(nformation), que tal como o nome indica dá informação de carácter geral sobre o jogo, e finalmente, a tecla 'M'(usic) permite desligar a música, coisa que confessamos que fizemos, pois não ajudava na concentração.

Coloristic é assim um desafio interessante e o seu nível crescente de dificuldade motiva a persistir, mesmo aqueles que não estão muito virados para este género de jogos. Talvez  alguma animação no movimento das peças lhe desse um pouco mais de "colorido", isso e o ecrã final quando terminamos o jogo, mas de qualquer forma cumpre com o objectivo a que se propôs, isto é, entreter-nos durante os tempos mortos, e que na situação mundial actual, será o dia-a-dia de muita gente.

Sem comentários:

Publicar um comentário