quarta-feira, 8 de abril de 2020

La Isla del Tesoro


Nome: La Isla del Tesoro
Editora: NA
Autor: Gusman
Ano de lançamento: 2020
Género: Aventura
Teclas: Não redefiníveis
Joystick: Não
Memória: 48 K
Número de jogadores: 1

Assim que carregamos La Isla del Tesoro somos brindados com uma mensagem de boas vindas em castelhano, bem como as instruções. Se para os espanhóis e portugueses, e restantes nativos da América Latina isso não é um problema, os leitores oriundos de outros países poderão ter alguns problemas para perceberem o que se deve fazer neste jogo. Vamos assim deixar um pequeno resumo dessas instruções, que permitam pelo menos perceber os conceitos básicos (não que o jogo seja de alguma forma complexo).

Nesta aventura assumimos o papel de Ricky, o Pernicioso, famoso desordeiro, amante de brigas, e impulsionador de desordens a meio-tempo. Recentemente conseguiu obter, de forma menos legal, presume-se, um mapa do tesouro enterrado no arquipélago Aquinostoy. Mas desafortunadamente, este mapa pertencia a um grupo de piratas, que agora farão tudo para deter Ricky. E o barco dos piratas já se encontra a caminho da ilha, pelo que se torna imperativo encontrarmos o tesouro antes deles.

Um problema adicional é que a ilha afinal não se encontra tão deserta como Ricky (e os piratas) pensavam. Assim, além de perigosos nativos que fazem de tudo para apanhar Ricky (e  o termo é mesmo este, há que correr à frente deles), existem também obstáculos naturais, como as areias movediças, e até templos abandonados, mas com armadilhas prontas para quem neles entre.


O primeiro passo após carregarmos a aventura é escolher o nível de dificuldade, que vai do 0, o mais fácil, até ao 9, virtualmente impossível. O nível define a velocidade a que os piratas se aproximam do tesouro, colocando-nos assim sobre pressão para o alcançar antes deles, mas também a velocidade dos mini-jogos (os quais iremos explicar mais à frente). Aparece então a ilha com um X a marcar o local do tesouro (o ponto mais afastado de onde nos encontramos, como seria de esperar), bem como um conjunto de pegadas pretas que indicam o caminho seguro até se chegar a ele. Convém termos bem presente este mapa (a qualquer altura poderemos voltar a vê-lo carregando na tecla "M", mas perdendo-se tempo precioso, em especial nos níveis mais avançados), pois sempre que nos afastamos do caminho seguro, arriscamo-nos a dar de caras com os inimigos e obstáculos.

Se tivermos a infelicidade de sair do caminho indicado, existe então grande probabilidade de entramos num dos três mini-jogos (pelo menos foram aqueles que encontrámos):
  • Templo abandonado: vamos corremos, enquanto surge uma pedra a rolar nas nossas costas e vários obstáculos pelo caminho que temos que saltar. Se falharmos o salto, caímos e a pedra aproxima-se um pouco mais de nós. É escusado dizer o que acontece quando essa nos atinge.
  • Tribo nativa: corremos à frente de uma tribo hostil, e à boa maneira de Decathlon, temos que ganhar velocidade pressionando esquerda e direita desenfreadamente, até ganharmos avanço suficiente para lhes escapar.
  • Areias movediças: entramos num exercício de reflexos, tendo que carregar rapidamente na tecla direccional indicada.
Se vencermos o desafio, continuamos no mesmo ponto onde estávamos, podendo continuar o caminho. Mas podemos também voltar ao início, tendo que percorrer todo o caminho novamente. Se falharmos o desafio, é o fim da linha para o desafortunado e trapaceiro Ricky, aparecendo uma imagem a condizer com a situação.


Embora o jogo seja bastante simples, e assim que alcançamos o tesouro, pouco sentido faça continuar, a não ser que sejamos masoquistas e queiramos experimentar o nível mais difícil, a diversidade dos mini-jogos, mesmo não sendo nada de especial (parecem pequenos type-ins criados em Basic), confere-lhe alguma diversidade e charme.

Obviamente que não se poderia pedir demasiado a um jogo com estas características, e os gráficos e som, pouco mais que básicos são. No entanto, de forma alguma envergonha o seu programador, e até achamos que poderia ser um bom concorrente à competição BASIC 2020, com alguns jogos concorrentes a não atingirem a bitola deste La Isla del Tesoro. 

Sem comentários:

Publicar um comentário