terça-feira, 18 de agosto de 2020

H.E.R.O. Returns


Nome: H.E.R.O. Returns
Editora: NA
Autor: Dr. Gusman
Ano de lançamento: 2020
Género:Acção
Teclas: Não redefiníveis
Joystick: Não
Memória: 48 K
Número de jogadores: 1

H.E.R.O. Returns é um remake de H.E.R.O., jogo lançado pela Activision em 1984 e que nesse mesmo ano converteu-o para o Spectrum. Aliás, a própria Timex colocou-o no mercado nacional, devidamente traduzido, convertendo-o nesse mesmo ano também para o TC 2068, tendo sido um dos primeiros recuperados por Planeta Sinclair, já lá vão mais de três anos. A sua simplicidade tornou-o bastante popular, e é raro quem não o tenha jogado ou pelo menos não o conheça. Ainda hoje mantém bem viva a chama, tanto que até deu origem a esta nova versão.

Tal como o título do jogo o indica, somos o Herói. E como herói, fomos convidados a resgatar 16 mineiros que ficaram presos numa mina. Munidos apenas de quatro barras de dinamite, uma pistola eléctrica e um unicóptero (um aparelho semelhante a um helicóptero individual acoplado às costas - Em Os Herdeiros, nas aventuras de Spirou e Fantásio, existia um aparelho com as mesmas características), que nos permite sobrevoar as cavernas da mina evitando alguns dos obstáculos e inimigos, mas tudo o resto joga contra nós. Os perigos são imensos, morcegos, aranhas, baratas, caranguejos, cobras e crocodilos, qualquer toque nesses animais é fatal. Alguns ficam quietos no seu canto e se não os importunarmos, também não nos atacam. No entanto, outros vão patrulhando as cavernas, e no caso da cobra e do crocodilo, os mais complicados de evitar, estão normalmente posicionados de forma a deitarem-nos o dente.


Também o próprio cenário encerra os seus perigos. Quer a lava, quer a água, são abundantes, e como seria de esperar não são porto seguro para o nosso herói. É necessário algum treino para os evitar, uma vez que exige que se active o unicóptero, e este não é facilmente manobrável. Deixamos uma dica: se se for disparando a pistola eléctrica (tem bateria ilimitada) enquanto se voa no unicóptero, a velocidade diminui consideravelmente, consequentemente sendo mais fácil de o dirigir. Mas também não convém abusar, pois além de tudo o resto, existe um tempo limite para resgatar os mineiros, não havendo espaço para se ficar a apreciar a paisagem.

A pistola eléctrica é uma boa ajuda, no entanto o seu alcance é curto. Para se conseguir atingir o inimigo, temos que quase que estar colados a ele. Nos animais rasteiros não existe grande dificuldade, mas nos voadores, que obrigam ao uso do unicóptero, a coisa torna-se bem mais complicada. Algumas cavernas estão também obstruídas e, para esses casos, só a dinamite resolve o problema. Mas cuidado, não vá a explosão atingir-nos.

Em algumas locais existem lanternas, que, se quebradas, escurecem o cenário. Basta tocar-lhes para se quebrarem, e se em alguns pontos, com mais ou menos jeito consegue evitar-se tocar-lhes, noutros pontos inevitavelmente não se consegue passar sem quebrar as lanternas. Nesses casos resta memorizar o cenário, pois vai ter que se fazer o caminho às escuras. Felizmente que os inimigos são brilhantes e, portanto, visíveis mesmo na maior escuridão.


Apesar de começarmos o resgate com quatro vidas e ser possível ganhar mais através da pontuação, existem 16 diferentes níveis, cada qual com várias salas para negociar (muitas, por questões de memória, são reaproveitadas). Assim, consciente do grau de dificuldade, o programador concedeu duas "batotas". A primeira permite que depois de se esgotar as vidas, se possa continuar o jogo com vidas renovadas (uma vez apenas). No entanto, quem quiser ver todos os ecrãs e não tiver paciência (ou habilidade), para o fazer por meios "legais", apenas tem que manter pressionado a tecla "B" quando se inicia o jogo e ganha então vidas, bomba e tempo infinito, mas abdicando da pontuação.

H.E.R.O. Returns é uma recriação muito fiel do jogo original. Não é um desafio para todos, e quem não gosta do primeiro, não vai agora enamorar-se por este. Os gráficos e o som são básicos e não têm o esplendor de muitos dos jogos modernos. No entanto, mantém intactas as características que fizeram de H.E.R.O. um dos jogos mais apreciados da época, apresentando um desafio que embora sendo bastante difícil, é motivador q.b. para se levar até final.  O programador realizou então um trabalho despretensioso e competente, e que merece que se dê uma espreitadela (ou duas)...

Sem comentários:

Publicar um comentário