domingo, 12 de março de 2017

Flynn's Adventure in Bombland



Nome: Flynn's Adventure in Bombland
Editora: NA
Autor: Tom Dalby
Ano de lançamento: 2011
Género: Labirinto
Teclas: Redefiníveis
Joystick: Kempston, Interface Two
Número de jogadores: 1

Tom Dalby é um talentoso programador que nos últimos quatro a cinco anos se dedicou a lançar no mercado alguns jogos para o Spectrum, muitas deles em concursos para programadores amadores. Mas uma das suas primeiras criações foi este Flynn's Adventure in Bombland, versão melhorada de Eric & the Floaters, de 1984.

Aqui, em vez de balões que nos perseguem, temos uma série de bicharocos, alguns não identificáveis, que teremos que ir rebentando. Para isso teremos que temporizar muito bem as bombas que colocamos, não só para que atinjam os nossos inimigos no timing exacto, mas também para que não sejamos nós a ser eliminados na explosão.

Até aqui tudo semelhante a Eric & the Floaters, mas surgem então algumas novidades. Em primeiro lugar, escondido no meio dos arbustos, rochedos e outros objectos que podem ser destruídos com as nossas bombas, está o portal de saída que nos permite passar de nível (após eliminarmos todos os nossos inimigos, claro). Depois, encontram-se também alguns itens que concedem bónus, como aumentar o nosso poder de fogo, o número de bombas que podemos colocar, etc., e que ajudam na nossa tarefa. Finalmente, o último nível é um pouco diferente dos restantes e temos aqui que rebentar com um único inimigo, gigante por sinal, e que só após ser apanhado na explosão de muitas bombas é destruído.


O jogo tem um conceito muito simples, mas é extremamente cativante. Gráficos engraçados e que cumprem perfeitamente com o objectivo, som sofrível, mas uma grande fluidez nos movimentos, quer nossos, quer dos nossos inimigos, contribuem para um resultado acima da média. Este é daqueles jogos que tem o condão de nos fazer lá voltar com regularidade.

Sem comentários:

Publicar um comentário