quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Rescaldo do Moche XL Games World

Após a separação das suas empresas que organizavam até agora o Lisboa Games Week, este ano temos pela primeira vez dois eventos do género separados por uma semana de distância e a poucos metros um do outro. O anterior organizador criou então um novo evento, o Moche XL Games World, que foi realizado no Altice Arena durante os passados quatro dias e a empresa detentora da FIL manteve o nome e o local, passando o Lisboa Games Week para 21 a 24 de Novembro.

Sendo assim, o espaço retro a cargo da Retroshop do Ricardo Saraiva continuou a parceria anterior, passando agora para o Moche XL e o Lisboa Games Week foi buscar o seu antigo parceiro - Nostalgica - para fazer o mesmo, mas no evento concorrente.


Como conseguimos ter acesso a ambos os eventos através de amigos expositores, a quem muito agrademos, iremos agora fazer um pequeno rescaldo do evento. Passando agora ao que por lá vimos, o salão de jogos estava localizado numa sala de difícil acesso, sendo preciso subir um vão de escadas, passando por uma sala dedicada à realidade virtual, descendo depois outras escadas, que essas sim, dariam acesso à sala que mais nos interessa. Ficámos surpreendido pela quantidade de visitantes (ainda mais tendo em conta que a sala estava um pouco escondida) e podemos dizer com toda a certeza que foi o maior público que a Retroshop teve desde que começou a participar nestes eventos, o que prova que o retrogaming não está de todo morto.
 

Não esperávamos assim ver tal quantidade de visitantes, ainda para mais tendo em conta o difícil acesso à sala, mas a combinação de consolas, computadores, máquinas arcade e flippers fez as delícias de miúdos e graúdos. Era possível ver os pais a apresentar aos seus filhos as máquinas onde se tinham divertido na infância, registando o momento para a posteridade e foram também muitos os jovens que decidiram sair do recinto principal para ter o seu primeiro contacto com consolas e computadores de uma época anterior à sua.

Deixamos-vos uma pequena lista (não completa) de computadores e consolas (com os respetivos periféricos) disponíveis ao público: NeoGeo CD, PCEngine com Super SD System 3 da Terraonion, Atari Jaguar, Amiga 600 com processador 68030, Timex 2048 com Dandanator, Atari 2600 e 7800, AtariSTe com CosmoEx, Zx Uno, MiSTer FPGA, N64 com Everdrive, Dreamcast com GDROM, Mega Drive 32X, Amstrad GX4000, Master System 1 e 2, NES, SNES, entre muitos outros.

Devemos relembrar que muitos dos produtos ao dispor, quer dispositivos de emulação FPGA, quer leitores de cartões para computadores e consolas são representados oficialmente pela Retroshop em Portugal. Através deste salão de jogos pudemos ver como ter acesso a toda uma variedade de produtos que permitem desfrutar dos nossos jogos favoritos sem ter investir em hardware antigo ou jogos, que podem ascender muitas vezes a custos incomportáveis para maioria dos entusiastas.




Para finalizar, como não podia deixar de ser, o nosso velho amigo Timex 2048, acompanhado de um monitor Philips monocromático com o Manic Miner, apanhado aqui num dos poucos momentos em que esteve livre. Também importante referir a presença do Museu Load ZX Spectrum, o primeiro museu do Spectrum a nível mundial, criado pelo João Diogo Ramos, nosso parceiro desde o primeiro momento, que teve direito a um rollup para anunciar a sua inauguração no dia 2 de Maio de 2020.

Ficamos a aguardar ansiosamente pelo evento do próximo ano, na expectativa de que se faça ainda mais e melhor e deixando desde já o convite aos seguidores deste blogue para que visitem nessa altura a zona retro do Moche XL Games World.


Sem comentários:

Publicar um comentário