domingo, 5 de abril de 2020

Devil's Quest



Nome: Devil's Quest
Editora: Octocom
Autor: Jorge del Llano e David Mochales
Género: Plataformas
Ano de lançamento: 2020
Teclas: Não redefiníveis
Joystick: Kempston, Sinclair
Memória: 48 K
Número de jogadores: 1

Agora que a competição BASIC 2020 se aproxima a passos largos para o seu final, o número de propostas aumenta, e algumas surpreendentes, tendo em conta a linguagem com que foram criadas. Por vezes parece impossível aquilo que se consegue fazer com Basic, não só ao nível gráfico, como na própria velocidade da acção e movimento dos sprites. É precisamente o que acontece em Devil's Quest, um dos mais fortes concorrentes a vencer o concurso.

Devil's Quest parte da antiga e permanente batalha entre as forças do Bem e do Mal. Assim, as forças do Mal, lideradas por um demónio ancestral, dominam o que antes era uma terra de paz e prosperidade. Numa última tentativa de libertar seu povo, o Rei confiou a nós o seu melhor cavaleiro, tendo a difícil missão de derrotar o Ser maligno. Para isso o nosso cavaleiro tem que percorrer os perigosos domínios do Diabo, assustadoramente preenchido com os seus lacaios, para destruir a besta maligna que colocou o reino do Bem nas trevas.


O jogo desenrola-se ao longo de nove níveis, cada um, excepto o último, composto por duas partes completamente distintas. A primeira parte de cada nível é passada num cenário único, e normalmente bastante sinistro, como convém. Cemitérios, igrejas e capelas mortuárias dão o ambiente perfeito para os inimigos, que ai se sentem como peixes dentro de água. Para o nosso cavaleiro conseguir escapar deste inferno, tem que cumprir com algumas tarefas na devida ordem. A primeira delas é localizar as duas runas e encostar-se a elas, activando-as. Nessa altura ficam visíveis as quatro partes do feitiço, que até então estavam ocultas, sendo a tarefa seguinte a sua recolha. Depois de todas as partes recolhidas (basta passar por cima delas), ficam visíveis duas saídas do cenário, uma verdadeira, outra falsa. O cavaleiro terá então que se deslocar até ela, passando à segunda parte do nível. Uma nota adicional, as saídas são aleatórias, quer isso dizer que a saída verdadeira não é sempre a mesma.

A maior parte dos inimigos desloca-se de forma errática pelo ecrã, e de forma surpreendentemente rápida, tendo em conta que Devil's Quest foi programado em Basic (compilado com o Hisoft Basic +3). Isso torna torna a tarefa bem mais complicada, pois não existe um caminho isento de riscos. O truque será andar pelas zonas menos povoadas, desta forma diminuindo o risco de encontros desagradáveis. Existem também obstáculos e armadilhas mortais, nomeadamente setas com movimentos regulares e fogo, que, neste caso, seriam fáceis de evitar, não estivesse o cenário tão povoado de outros seres malignos.

Mas como nem tudo é mau, foram concedidas algumas ajudas. Assim, em cada nível encontra-se um de cinco diferentes ícones, e que é fundamental apanhar. Estes podem  congelar os inimigos por um tempo limitado, conceder uma vida extra, tornar os movimentos dos inimigos mais lentos durante certo tempo, aumentar o tempo disponível para se completar o nível (medido numa barra no canto inferior esquerdo), ou conceder um escudo que concede imunidade durante uns segundos. Outra ajuda importante são as ligações laterais nos próprios cenários, que permite passar de uma ponta a outra, sem correr o risco de encontros imprevistos.


Se o cavaleiro conseguir atingir a saída, avançamos para a segunda parte do nível. Entramos então num corredor com vários obstáculos, de diferentes tamanhos, e teremos que chegar ao fim do caminho sem tropeçar em algum. O cavaleiro corre a uma velocidade constante, sem possibilidade de travar, pelo que o timing de salto, bem como a altura a que salta (quanto mais tempo pressionarmos a tecla de disparo, mais alto ele saltará), são os factores a ter em conta. Se conseguirmos chegar ao final, é-nos concedido uma vida extra, de contrário avançamos de nível sem este bónus concedido. De notar que a disposição dos obstáculos repete-se duas vezes em cada corredor.
 
Quando chegamos ao último nível (o nono), enfrentamos então o próprio Diabo. As tarefas são semelhantes aos dos outros cenários, mas aqui, ao invés de procurarmos a porta de saída para fugir para o corredor, temos que colocar os feitiços recolhidos na própria boca de Lúcifer. Isto só é possível de ser feito quando ele tem as grotescas mandíbulas abertas, mas como isso acontece, deixamos para vós descobrirem (não podíamos dar todas as dicas, não é?). Se o cavaleiro for bem sucedido, aparece então a devida recompensa na forma de uma bonita gravura e mensagem.


Destaque ainda para o cuidado com que a equipa programadora tratou este lançamento. Assim, além de incluir uma capa para quem quiser criar a sua própria cassete, e um manual com instruções e dicas úteis, no próprio jogo incluiu uma opção de treino, que permite experimentar cada um dos níveis do jogo, preparando-nos devidamente para a árdua tarefa que vamos ter em mãos. Não é que o jogo seja particularmente difícil, mas o movimento rápido e errático da maior parte dos inimigos, implica conhecermos muito bem os terrenos que pisamos, para conseguir chegar ao fim sem ter que contar demasiadamente com a sorte.

Os gráficos e cenários, tendo em conta que foram criados em Basic, são incríveis. Não é por acaso que deixámos screenshots com fartura, pois assim podem apreciar o seu detalhe e colorido. Por vezes tão coloridos que podem provocar alguma confusão. Isso e o facto de quando o nível inicia, não nos conseguirmos aperceber imediatamente do local onde começamos a missão, podendo levar a encontros mortais nos primeiros segundos.

Devil's Quest é assim surpreendentemente refrescante, com uma boa diversidade, resultante das duas partes que compõem cada nível, e será sem dúvida um sério concorrente à vitoria final na competição BASIC 2020. 

Sem comentários:

Publicar um comentário