segunda-feira, 16 de abril de 2018

Tea-Leaf Ted


Nome: Tea-Leaf Ted
Editora: NA
Autor: Jaime Grilo
Ano de lançamento: 2018
Género: Plataformas
Teclas: Redefiníveis
Joystick: Kempston, Sinclair
Memória: 48/128K
Número de jogadores: 1

O programador nacional Jaime Grilo não dá tréguas, continuando a todo o gás a criar novos jogos com o motor Arcade Games Designer, sendo já um especialista nessa aplicação.

Tea-Leaf Ted é a nova aventura e coloca-nos na pele de um ladrão novato que tem que apanhar todas as moedas que conseguir. Mas a polícia é que não está pelos ajustes e faz tudo para o apanhar. No entanto os senhores de boné azul não são o único perigo para Ted, pois à cata das moedas também andam garimpeiros e outros bandidos, sendo que estes se o apanharem matam-no, além de lhe roubarem as moedas. E como se não fosse pouco, em alguns dos níveis aparecem miúdas que de cada vez que passam por Ted, roubam-lhe também algumas moedas, além de cães (polícia) que têm tendência para morder o desafortunado ladrão, e que apenas é imune a um certo número de mordidelas.


Tea-Leaf Ted contém vinte e quatro níveis correspondentes a igual número de ecrãs. Em cada um deles, o ladrão tem que apanhar todas as moedas e só depois é revelada a posição da chave que permite abrir a porta de saída, estando normalmente no ponto contrário a esta. Em alguns ecrãs é também necessário activar certas alavancas que permitem aceder a outros pontos ou até saltar em molas para atingir plataformas que doutro modo são inatingíveis. Além disso, Ted pode ainda ir apanhando alguns objectos úteis a qualquer ladrão que se preze (máscara, alicate, etc.), fazendo subir a pontuação.

Quando se chega ao último ecrã encontramos então a namorada de Ted, Sheila, montada na sua potente mota e à sua espera para fugirem juntos. Mas Ted tem ainda um último desafio para cumprir e só então poderá escapar com as moedas que tiver apanhado até essa altura.


Tea-Leaf Ted é um típico e despretensioso platformer, fazendo lembrar Chuckie Egg e outros jogos do género, tendo também algumas semelhanças com Mike, the Guitar, constituindo um bom divertimento, ideal para tirar o stress depois de um dia árduo de trabalho. Não esperem aqui por complexos desafios, não era isso o pretendido, e se defeitos temos a apontar a este jogo, está apenas relacionado com as próprias limitações do AGD, pois de cada vez que se perde uma vida, têm que se recomeçar o nível do início, voltando a apanhar-se todas as moedas. Se isso acontecer quando já se está a caminho da porta de saída, pode ser frustrante.

Graficamente está funcional, com um bom uso de cor, não obstante o colour clash característico do Spectrum, e na versão 128 K têm ainda direito a nove diferentes músicas, que vão variando à medida que vão avançando nos níveis.

O jogo tem ainda um pormenor interessante, além desta versão, em que Ted é humano, há outra versão [MOD] em que Ted é um urso. Poderão aqui obter a versão humana de Ted, e aqui a versão ursídea de Ted.

Sem comentários:

Enviar um comentário