domingo, 21 de outubro de 2018

Estão abertas as inscrições para a Woot 2018


Estamos a aproximar-nos do Natal e as festividades já iniciaram. Assim, devem estar recordados da magnífica revista digital (formato Spectrum, pois claro) Woot!, que já trouxe duas edições analisadas por nós no Natal de 2016 e de 2017. Estas incluíam reviews, uma grande variedade de jogos e demos (alguns bastante bons), cartoons e um sentido de humor mordaz e imperdível.

Agora Dave Hughes abriu as submissões para a Woot! 2018 Tape Magazine. Podem enviar-lhe os vossos trabalhos (encontram-no no fórum da Spectrum Computing como R-Tape). E quase tudo é bem-vindo: jogos, mini-jogos, demos, música, arte, artigos (podem ser polémicos - até se agradece), ecrãs / telas; piadas, desenhos animados, etc.. E o Dave também necessita de música AY para acompanhar a revista.

O prazo final para entrega dos trabalhos é 9 de dezembro. Vamos lá mostrar a nossa criatividade.

Entretanto, quem quiser perceber do que falamos, pode consultar aqui a Woot 2016 e a Woot 2017.

ZX Spectrum no Eurogamer Portugal Fest / Iberanime 2018

No passado fim de semana, um dos nossos colaboradores participou no Eurogamer Portugal Fest, apresentando um projeto com um ponto de ligação interessante ao mundo do ZX Spectrum, no espaço dos "indie developers", e que suscitou algumas observações interessantes que merecem ser apontadas no Planeta Sinclair! Deixamos aqui o relato do nosso colega Filipe Veiga, em primeira mão:

"Para quem não sabe, além de membro do Planeta Sinclair / Espectroteam, estou também a colaborar num projecto da Headless Studio, (estúdio independente de desenvolvimento de jogos), participando no "port" de um jogo de PC da Headless, o Luckyshot West, para algumas plataformas retro, entre elas, a do nosso estimado ZX Spectrum. Este "demake" trata-se de uma longa história que será devidamente contada em outra ocasião. Mas por hoje, irei apenas focar na experiência de participação num evento que achei deveras interessante, o Eurogamer Portugal Fest, organizado conjuntamente com o Iberanime, em Matosinhos, e que proporcionou uma mistura interessante entre o universo do jogos e a cultura pop japonesa, com "gamers" e "cosplayers" a conviver no mesmo espaço.

Cosplayers que visitaram o nosso stand!

O evento
Decidimos aceitar o repto da organização da Eurogamer Portugal e apresentar o Luckyshot no espaço dedicado aos "indie game devs". Para mostrar um diferencial e, também, o nosso empenho em relação aos "ports", decidimos levar equipamentos originais para tornar a experiência mais fiel à original.

Tech demo para ZX Spectrum
do Luckyshot.
Avô, pai e filho!
O nosso "stand" consistia numa mesa com os equipamentos dispostos por ordem cronológica, digamos assim, por 3 gerações: um ZX Spectrum +2B representando os anos 80, um IBM PS/1 representando os anos 90, e um notebook moderno para correr o jogo original.

O nosso "stand"!
Parte da equipe pronta para o evento!
Surpresa positiva!
Devo dizer que a equipe da Headless ficou positivamente surpreendida pela atenção dada pelos visitantes do evento ao nosso "stand", superando as nossas expectativas, e a que não é alheio o facto de termos apresentado máquinas "vintage". Em certos momentos formava-se uma fila de curiosos tanto para ver as máquinas como para jogar, havendo até quem tivesse voltado para repetir a experiência!

A jogar Luckyshot West!
Espaço indie esteve bastante animado!
O chamariz!
De facto, o nosso ZX Spectrum foi a estrela que brilhou, acompanhado de uma elegante televisão Sony Triniton. Verificamos que tanto o ZX como a Triniton funcionaram como um magneto, seja em adultos, atraídos pela nostalgia, seja em crianças pelo fascínio ou mera curiosidade. As pessoas simplesmente desviavam-se do seu caminho para que fossem ver, nem que de relance, o que estava no nosso "stand". E funcionou maravilhosamente bem, porque os visitantes vinham pelo ZX Spectrum, mas acabavam fisgados pelo jogo de PC que, diga-se de passagem, é extremamente viciante!

Mesmo sendo uma demo, houve quem não resistisse experimentar!
E depois jogar o original "moderno" para completar a "viagem" no tempo!
Pais e Filhos
Algo que pudemos reparar e que achamos muito divertido: perdemos a conta do número de pais que arrastaram os seus filhos para mostrar e contar como eram os computadores da sua juventude, perante o olhar, às vezes atento, outras vezes enfadado, dos seu filhos!

Cores vivas
Notamos também que as crianças eram atraídas pelas cores muito vivas da nossa "tech demo" de ZX Spectrum, embora rapidamente perdessem o interesse para as Xbox que estavam do nosso lado!

Botões misteriosos
Outro facto muito curioso observado por nós, foi o fascínio nos mais jovens, dos botões do gravador acoplado do ZX Spectrum +2B! Estes também tentavam usar os botões como se fosse um cursor, o que proporcionou muitas gargalhadas!

Varina
Além da "tech demo" do Luckyshot (sobre a qual o Planeta Sinclair cobrirá em breve), o jogo Varina da Espectroteam também esteve presente, como um teste de ensaio para uma presença exclusiva e em grande no próximo Lisboa Games Week! Mas isso é outra história para outro momento! ;)

Pronto para jogar Varina!
O já "legendário" ecrã de carregamento do Varina!

sábado, 20 de outubro de 2018

Simulador de Vôo (MIA)


Simulador de vôo é a conversão para a nossa língua pela Timex Portugal, de um dos primeiros simuladores a aparecer para o Spectrum, Flight Simulation, lançado no final de 1982 / início de 1983 pela Sinclair Research. Apesar de ter saído nos primórdios deste sistema, o jogo possuí um carisma especial, sendo por muitos considerado com um dos melhores simuladores de vôo a aparecer para o Spectrum, mesmo com uma enorme quantidade de teclas para memorizar.

O jogo veio em mais uma cassete que nos foi emprestada pelo Rui Cunha e pode aqui ser descarregado.

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Preview: The Vectornauts


E está na calha para breve mais um jogo feito com recurso ao Arcade Game Designer. O seu autor é DomReardon e é novo na cena. Como podem ver pelos gráficos, estes são muito simples, tipo vectoriais (daí o nome do jogo). Mas a jogabilidade é bastante boa, se bem que nos pareça demasiado fácil. Aliás, acabámos esta primeira parte demasiado rápido, pelo que agora esperamos pela segunda parte para fazermos uma review completa ao jogo.

A demo desta primeira parte já está disponível e pode ser aqui obtida.

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Jogos para o ZX 81 na revista Jogos 80


Já aqui falámos da revista Jogos 80 e da verdadeira surpresa que foi terem preservado seis jogos para o ZX 81 que se julgava perdidos. Entretanto a revista começou a chegar aos seus leitores e a recepção tem sido a melhor possível (ainda aguardamos que a nossa chegue, mas já se sabe que vai demorar mais algum tempo para cruzar o Atlântico).

Como a revista está disponível gratuitamente em formato PDF, já sabemos o que vamos encontrar. Mas o que ansiosamente aguardamos é pela chegada da cassete que a acompanha e que inclui os tais seis jogos para o ZX 81 recentemente encontrados.

Entretanto, os próprios autores ficaram maravilhados com a qualidade da revista e com a projecção que os jogos tiveram. Deixaram mesmo palavras muito elogiosas para com a equipa, da qual alguns elementos de Planeta Sinclair fazem orgulhosamente parte (e perdoem-nos estarmos aqui a puxar a brasa à nossa sardinha, mas foi irresistível).

Os autores dos jogos fizeram ainda questão de partilhar algumas fotografias com a revista (e cassete) não mão, como poderão ver na foto seguinte.


Entretanto convidamo-vos também a virem ver a excelente reportagem que aqui se encontra, contando um pouco a história da incrível recuperação dos jogos, juntando-lhe mais algumas fotografias, e onde podem também descarregar os seis jogos, assim como dicas e outras curiosidades sobre os mesmos. É realmente imperdível!




quarta-feira, 17 de outubro de 2018

VideoSpectrum 1, 2 e 3 (MIA)


Já tínhamos disponibilizado alguns dos programas incluídos na revista VideoSpectrum. Mas agora, graças ao nosso amigo Jose Manuel, de El Trastero del Spectrum, conseguimos chegar aos três primeiros números, completamente traduzidos para a nossa língua.

Consta que são seis os números que foram traduzidos. Consta também que um nosso amigo e habitual colaborador do blogue tem os números que nos falta. Portanto, quem sabe não disponibilizaremos a colecção completa um destes dias.

Quem quiser agora aceder aos três primeiros números pode fazê-lo aqui.

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Preview: Rodman


Pixel Perfeito está sempre na vanguarda da informação, e deste vez encontrou mais um jogo para o Spectrum, este pouco divulgado até à data, mas que já está em fase de pré-venda. Infelizmente não é barato, nada menos, nada mais, que 19.99 libras (acrescido de portes), pelo que duvidamos um pouco do seu sucesso. A novidade é que se adquirirem a cassete, esta inclui três de seis diferentes formatos possíveis (C64, C16, VIC20 +16K, ZX Spectrum, Amstrad CPC464, Oric1, MSX), enquanto que a versão digital irá incluir todos.

Rodman é um clone de Pac-Man, e depois do período de pré-venda terminar, o seu autor irá disponibilizar uma demo jogável. De qualquer forma, no vídeo acima já têm uma ideia do que esperar.

Quem quiser encomendar o jogo, pode fazê-lo aqui.

Duas novas entradas em ZX-DEV-MIA-Remakes


E muito recentemente houve mais duas entradas na (já famosa) competição ZX-DEV-MIA-Remakes. A primeira delas é da autoria de TomDD, que anunciou um remake de Maze Death Race, original de 1983 da PSS. O que o seu autor pretende fazer é um jogo moderno, contemplando vários ecrãs, em vez de apenas um, como no original. Parece-nos uma excelente escolha, até porque são muito poucos os jogos do género que actualmente são feitos. Maze Death Rally-X é o seu nome (Rally-X foi o jogo de arcada que deu origem a Maze Death Race) e já tem loading screen, muito bom, por sinal.

Uma segunda entrada é ainda mais surpreendente, pois diz respeito a um jogo que nunca foi lançado para o Spectrum (existe para outras plataformas), Jumpery. O seu autor, é nada mais, nada menos que Denis Grachev, responsável por um dos melhores jogos de 2016, Tourmaline. Para já ainda existe apenas uma pequena amostra, mas os gráficos, para quem acompanha a obra de Grachev, são bastante familiares.

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Vegas Slot


Da Turquia chegou-nos um pequeno e despretensioso simulador de slot machines. Sem som ou qualquer outro extra, mas também a mais não ambicionava o seu autor, Fuat Kenan Çakır.

Podem apostar de cinco a vinte e cinco créditos, em múltiplos de cinco, para isso utilizando as teclas "1" a "5". Mais outra para para parar a máquina ("Space") e "Enter" para a colocar em movimento, e mais não precisam de saber. Se se sentirem com sorte, podem carregar o programa aqui. É garantia que tirando o tempo que irão despender a fazer as apostas, mais não irão perder...

Top jogos mais vendidos Outubro 1983

É sem surpresa que Jetpac, um dos grandes clássicos do Spectrum, atinge o primeiro lugar, contribuindo para aumentar o prestígio da Ultimate, que coloca ainda Pssst no oitavo lugar.

A saga Horace continua a ser um grande sucesso de vendas, entrando Horace and the Spiders diretamente para quinto lugar, mantendo-se ainda o jogo anterior da saga no top 10. Mas a maior surpresa é a entrada de Scrabble, um jogo de tabuleiro bastante conhecido, para a segunda posição.

domingo, 14 de outubro de 2018

Poker Aberto (MIA)


E ultimamente tempos vindo a recuperar uma série de jogos de Poker. Este vinha ainda no imenso lote que o Vasco Gonçalves nos emprestou, e apesar de que jogar contra a Astor Software não é a mesma coisa que jogar contra a Sammy Fox, não deixa de ter o seu encanto. Mesmo sendo um pouco lento, o facto de ser muito simples e em português, poderá ser o parceiro perfeito para quem se quer iniciar nas artes do Poker, mesmo que o bluff não sirva aqui de muito.

Poderão aqui descarregar mais esta pérola da Astor Software, agora preservada por Planeta Sinclair.

sábado, 13 de outubro de 2018

Nova versão de Spectrum Poker (MIA)


É com muito agrado que vemos os nossos reptos serem aceites pelos nossos leitores. Depois de há uns dias termos disponibilizado Spectrum Poker, colocando as nossas dúvidas acerca do autor deste jogo, e se o mesmo seria realmente português ou uma tradução, o Pedro Lamy enviou-nos uma segunda cópia, esta com o loading screen intacto. E isto deu-nos mais alguma informação.

Assim, aparentemente Spectrum Poker foi criado em 1984 por Mário Cabral e lançado pela Sosoft. Embora não se consiga encontrar mais nada desta editora, já começamos a ter mais dados para uma pesquisa. Quem quiser descarregar esta nova versão pode aqui fazê-lo.

E Pedro Lamy, que preservou esta pérola em Agosto de 2017, ainda fez mais. Indica-nos as teclas a utilizar durante o jogo:

  • C - começar jogo
  • H - Pausa
  • W - Seleccionar 1ª carta
  • E - Seleccionar 2ª carta
  • R - Seleccionar 3ª carta
  • T - Seleccionar 4ª carta
  • Y - Seleccionar 5ª carta
  • S- Recomeçar jogo depois de ganhar
  • J - Aumentar aposta

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Clone de Pogo para o Spectrum Next a caminho


Simon Butler está a trabalhar em muitos projectos para o Spectrum Next ao mesmo tempo e recentemente apresentou mais um: um clone de Pogo, já com alguns níveis criados e com muito, muito bom aspecto, como poderão ver no vídeo acima. Não se sabe ainda a data de lançamento, mas uma coisa é certa, quando este computador sair, já teremos muito com que nos entretermos...

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Notícias da Topo / Team Siglo XXI

 

Zona 0 será o oitavo lançamento da Topo / Team Siglo XXI, estando agendado para Novembro. Depois, e pelo menos durante algum tempo, não haverá novos lançamentos desta editora.

O catálogo de jogos ficará então assim definido (todos com edição na nossa língua):
  1. Em Busca do Mortadela 
  2. Top Mix Game
  3. Viagem ao Centro da Terra (Versão Estendida)
  4. Mad Mix 2: No Castelo dos Fantasmas
  5. Casanova / Pizza e Pasta
  6. Lorna
  7. R.A.M.
  8. ????
  9. Zona 0
E o que se passa com o número 8? Esta será uma grande surpresa destinada para o próximo ano (espera-se), pois o número está reservado para R.A.M. 2: Space Mission. Notícia excelente, apesar de termos pena desta fantástica colecção terminar por aqui.

Mas Alfonso Fernández Borro (Borrocop) também nos adiantou mais algumas informações. Assim, La espada sagrada e Ice Breaker para já ficam na gaveta. Talvez no futuro venham também a ser lançados, até porque parte do trabalho já se encontra realizado.

Quanto a Gremlins 2, o jogo já existe em inglês e espanhol, e talvez algum dia venha a ser convertido com algumas modificações para português. Para já ficará na gaveta, como os dois anteriores.

O mesmo não se passará com Perico Delgado. Este não irá ser lançado, ficando apenas na coleccção particular do nosso amigo Borrocop, que bem o merece por tudo o que já nos deu, diga-se de passagem.

Por fim, para King of Pong estava reservado uma outra surpresa. Iria ser oferecido a todos aqueles que adquiriram a colecção completa. Para já fica em stand-by, mas nunca se sabe o que o futuro nos reserva.

Resta-nos agradecer toda a simpatia que o Borrocop teve para connosco, dando-nos o privilégio de, após um hiato de mais de trinta anos, voltar a ter jogos do Spectrum na nossa língua. Desejamos-lhe toda a sorte deste mundo, e cá estaremos para o apoiar sempre que precisar de nós. Foi um prazer imenso colaborar com ele. Não dizemos adeus, apenas um até breve!

Preview: Black Flag


Projecto muito ambicioso é aquele a que um concorrente à competição ZX-DEV-MIA-Remakes de nome "Catmeows" tem em mãos. De facto, pegar no franchise Pirates!, de Sid Meier's, e transpô-lo para a escassa memória do Spectrum não será tarefa fácil. Mas louve-se a audácia. E vamos também torcer para que o projecto seja bem sucedido, pois a par de Civilization, esse seria uma das conversões que mais gostaríamos de ver na nossa plataforma preferida.

Black Flag (será esse o nome do jogo) ainda está no começo, mas o autor já divulgou um possível mapa e um sprite de um pirata.

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Spectrum Poker (MIA)


No World of Spectrum e em Spectrum Computing é mencionado um jogo chamado Spectrum Poker, de um tal Harry S. Price, datado de 1984. E o que o Pedro Pimenta tinha numa das suas cassetes é um jogo com o mesmo nome, provavelmente traduzido para português. Será o mesmo? Suspeitamos que sim, embora nas nossas investigações não consigamos ter chegado a conclusões mais fundamentadas. De qualquer forma, aqui fica mais um MIA.

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Preview: Atomix-ZX


Atomix é mais um MIA, que neste caso nunca foi sequer feito, mas que chegou a ser falado em 1990 na Your Sinclair. Na altura seria lançado pela US Gold. E Julián Muñoz propõe-se agora a recriar este puzzle para a competição ZX-DEV-MIA-Remakes.

Para já divulgou alguns screenshots e francamente gostámos do resultado, pois parece-se com alguns dos jogos do género que foram desenvolvidos no período 89/91, com Puzznic e Plotting à cabeça. A seguir com atenção nos próximos meses...

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Behind Closed Doors Seven (Happiness Is a Warm Pussy)


Nome: Behind Closed Doors Seven (Happiness Is A Warm Pussy)
Editora: Zenobi Software
Autor: Gareth Pitchford e John Wilson
Género: Aventura de texto
Ano de lançamento: 2018
Teclas: NA
Joystick:  NA
Memória: 48 / 128 K
Número de jogadores: 1

Depois da Zenobi ter renascido com Ramsbottom Smith and the Quest for the Yellow Spheroid, não demorou muito tempo até lançar a segunda aventura. Desta vez Gareth Pitchford levou-nos para a saga Behind Closed Doors, amplamente conhecida por todos aqueles que estão dentro do género das aventuras de texto, e converteu mais uma história criada por John Wilson.

E após termos terminado Ramsbottom Smith em apenas algumas horas, pensávamos que este Behind Closed Doors seria terminado em pouco tempo. Não podíamos estar mais enganados, pois andamos aqui às voltas com esta aventura, e aparentemente estamos bloqueados, sem saber o que fazer com unhas que caem do céu, lapiseiras afiadas e outros objectos no mínimo estranhos. Uma coisa é certa, todos eles acabarão por ser úteis mais tarde ou mais cedo...


Em Behind Closed Doors apenas existem dois cenários, o princípio e o fim do caminho, local onde existe um misterioso buraco, que parece esconder mais do que aparenta. Aconselha-se logo de início a procurar-se por ajuda ("help") e a ler as dicas ("hint"). Serão dados alguns conselhos úteis, quer ao nível dos comandos utilizados, quer ao nível das próprias acções a tomar. Será também conveniente ler-se o jornal, em especial a secção dos anúncios. Por falar em jornal, não pudemos deixar de achar piada às referências a uma malfadada consola, que ainda hoje continua a dividir a comunidade.

Os diálogos estão bem construídos e são bem-humorados, por vezes a poderem ferir susceptibilidades aos mais sensíveis. Para esses aconselha-se talvez um jogo mais sério. Mas para quem por aqui se aventurar, vai de certeza dar por bem empregue o tempo a tentar resolver os quebra-cabeças apresentados.


É mesmo isto que aqui poderão encontrar, um enorme mistério que terá o condão de deliciar todos aqueles que gostam de um bom livro (ou série) policial. Resolver as charadas, munirem-se dos objectos necessários, é o que aqui se pede. De resto, e à semelhança de Ramsbottom Smith, depois de termos esta parte finalizada, a aventura irá desenvolver-se como se de um livro se tratasse.

Behind Closed Doors Seven envolve-nos completamente e é daqueles jogos que não colocamos de lado enquanto não o finalizamos. Vamos por isso continuar a olhar ("look"), examinar ("examine") e procurar ("search") tudo, para tentar encontrar aquilo que (ainda) nos está a escapar.

O jogo é gratuito e poderá aqui ser descarregado.

domingo, 7 de outubro de 2018

Crash Annual 2019 Issue 100


Terminou esta madrugada a campanha de crowdfunding do novo número da Crash, tendo obtido mais de quarenta e três mil libras. Apesar de ter obtido o dobro do valor necessário, não podemos deixar de dizer que ficámos um pouco desiludidos com o número de backers. Tendo em conta a qualidade da revista e o sucesso obtido com a edição do ano anterior, que atingiu quase as cinquenta mil libras, pelo menos esperávamos números semelhantes.

De qualquer forma, a revista vai mesmo avançar e os backers vão ter direito a dois prémios: o mapa de Knight Lore, desenhado pelo mítico Oliver Frey, e o calendário para 2019.

Relevante também as nacionalidades dos backers, com o Reino Unido a ser responsável por mais de 71%. Portugal nem aparece no mapa, de qualquer forma, dois dos colaboradores de Planeta Sinclair entraram na campanha, pelo que podem contar com a review da revista quando a recebermos.