quinta-feira, 19 de maio de 2022

Driver (MIA)


Driver é mais um jogo desconhecido, desenvolvido com o motor H.U.R.G., o que quer dizer que têm antes que carregar este último, para depois poderem aceder ao jogo original. É uma espécie de Frogger, com algumas nuances diferentes, mas a dinâmica vai dar ao mesmo.

Estava no baú de Steven Brown e pode aqui ser descarregado.

LOAD ZX 40: "esxDOS - Portuguese Technology" - Miguel Guerreiro

Continuamos a partilhar as várias sessões do evento de celebração do 40° aniversário do ZX Spectrum. Este vídeo é muito especial porque é a primeira sessão do evento que lançamos legendada em inglês.

Esta sessão contou com a presença de Miguel Guerreiro, criador do sistema esxDOS. A sessão foi em português e decidimos legendar esta sessão em particular devido à relevância internacional deste projeto desenvolvido pelo Miguel. Mas isto não será caso único, por isso estejam atentos. 

O vídeo vai estrear amanhã, quinta-feira, dia 19 de maio, às 21h00 de Portugal. Estaremos online a comentar. 

Yet Another Krappy Shooter


Nome: Yet Another Krappy Shooter
Editora: NA
Autor: KrappyGamez
Ano de lançamento: 2022
Género:Shoot'em'up
Teclas: Não redefiníveis
Joystick: Kempston
Memória: 16 K
Número de jogadores: 1
Link para descarga: Aqui

KrappyGamez volta a surpreender-nos com um jogo que tem tanto de simples, como de eficaz. E mais uma vez para os computadores 16K, embora tenhamos dúvidas se ainda haverá muita gente a ligar a máquina física com tão escassa memória...

O título Yet Another Krappy Shooter diz tudo. É um shoot'em'up, tal como o nome indica, mas também é um pouco "crap", no bom sentido, diga-se. De facto, mesmo com o grafismo e cenários básicos, o som idem idem aspas aspas, mas tem uma jogabilidade imensa, a fazer lembrar aqueles jogos dos primeiros tempos do ZX Spectrum, sem grandes artifícios, mas que imediatamente cativam o jogador. E temos a certeza que era isso que o programador pretendia, pelo que se pode dizer que Yet Another Krappy Shooter cumpre exactamente aquilo a que se propunha: um tiro'neles frenético, sem grandes preciosismos, e sem nos dar tempo para apreciar devidamente os inimigos. Um pequeno descuido, e somos atingidos.

Um dos pontos mais importantes neste género de jogos é o scroll. Impõe-se que seja fluído, sem saltos ou que emperre, doutra forma arruína completamente o desafio (temos alguns casos que prometiam muito e que depois eram arruinados precisamente por andarem aos "solavancos"). É o que aqui acontece (um scroll fluído), pois a nave desliza maravilhosamente pelos cenários.

Yet Another Krappy Shooter também não sofre do síndroma dos tiros invisíveis. Com os fundos pretos, muito dificilmente isso aconteceria, mas mesmo assim, com a quantidade de tiros e inimigos que estão permanentemente no ecrã, em momento algum ficamos perdidos a pensar naquilo que nos terá atingido.

Alguns elementos do cenários são destrutíveis (e bem necessitamos de os eliminar, se queremos aumentar a área de jogo e escapar aos tiros adversários), e alguns inimigos deixam um bónus, que duplica o poder de fogo durante algum tempo, sendo estas as poucas benesses que vamos ter. Por outro lado, a nossa nave pode levar algum dano (tiros), não se perdendo imediatamente a vida. Isso permite que apesar de um grau elevado de dificuldade, consigamos estar largos minutos a jogar, aumentando o sentimento de satisfação. 

Depois, o jogo é bastante divertido. Era isso que KrappyGamez pretendia, sendo mais uma vez muito bem-sucedido...

quarta-feira, 18 de maio de 2022

Dossier G. (MIA)


Dossier G. é um programa francês, bastante informativo, lançado em 1985 e que ainda estava dado como perdido. E como qualquer programa francês, é no mínimo bastante estranho (já a Your Sinclair o dizia nos anos 80). Seja como for, inclui muita notícia à época, sendo um manancial de informação bom para quem quer estudar alguns acontecimentos da altura, nomeadamente o sórdido ataque ao Greenpeace por parte do Governo Francês.

Poderão aqui vir descarregar o programa.

VideoBasic número 13

Continuando a partilhar a colecção VideoBasic, desta vez temos o número 13 (cassete + revista). Mais uma vez podem contar com imensas dicas, utilitários e até alguns jogos. É sem dúvida a melhor publicação do género.

Poderão vir aqui descarregar o número 13 da VideoBasic.

Micro Pocket n.º 4 completo


Em tempos tínhamos deixado o lado B do número 4 de Micro Pocket (ver aqui). Além da cassete estar em muito mau estado, com a capa riscada, o lado A tinha outras coisas gravadas por cima. Mas agora, graças ao Luís Pereira, conseguimos chegar a uma cassete em muito boas condições, recuperando o lado A na totalidade, assim como a capa e labels.

Poderão vir aqui descarregar o conteúdo completo de Micro Pocket número 4.

terça-feira, 17 de maio de 2022

Diet Master (MIA)


Para quem procura perder peso ou melhorar a sua alimentação, também apareceram programas para o ZX Spectrum que ajudam nessa tarefa. Diet Master faz então as vezes da nutricionista, permitindo melhorar a nossa qualidade de vida.

Poderão aqui descarregar este programa de 1983, agora disponível graças a Steven Brown.

Saiu Beethoven's Revenge


Graças a Wayne Robbins, que domina o ZX Spectrum como a mesa de snooker, e que além disso tem um excelente canal do YouTube (ver aqui), tomámos conhecimento de novo jogo da equipa de Sebastian Braunert, responsável pelo canito mais famoso dos computadores.

Desta vez o tema não é Moritz, mas sim as personagens que apareciam nos jogos de Mike, the Guitar, nomeadamente o mauzão, mas genial, Beethoven.

Está assim dado o mote para novo jogo de plataformas, bem ao jeito dessa equipa, e que poderá aqui ser descarregado. Poderá ser dada uma pequena contribuição ao seu autor, justa recompensa pelo seu trabalho.

A Viagem de Marco Polo


De facto, os pioneiros do ZX Spectrum em Portugal continuam imparáveis. É o Zé Oliveira a trazer-nos um jogo novo todas as semanas, é o Domingues Silva quase todos os meses a trazer-nos também novos trabalhos. É caso para dizer que dão dez a zero à nova geração de programadores...

Isto tudo para dizer que Domingues Silva tem um novo jogo, passado muito pouco tempo de ter apresentado Ataque Cibernético e O Submarino U2 (ambos em Abril), este último o concorrente à competição de Basic Apascalado, criada por... Zé Oliveira... Pois é, ainda temos muito a aprender com estes programadores.

Quanto ao novo trabalho de Domingues Silva, A Viagem de Marco Polo, é mais um jogo didático, a fazer-nos puxar pela memória e pela cultura geral, mas também pela sorte. Se conseguirmos chegar ao final da etapa, que recria a viagem do famoso explorador, ficaremos a saber o nosso ranking.

Mais uma vez Domingues Silva está de parabéns, sendo um exemplo para a nova geração. Agora venham puxar pelos neurónios, descarregando aqui A Viagem de Marco Polo.

GP250X (MIA)


Ainda do Pedro Bandeira e Cunha, conseguimos preservar mais um pequeno utilitário destinado às impressoras Seikosha. Já tínhamos encontrado programas semelhantes, nomeadamente da Landry e Projecto Futurismo, mas este ainda continuava perdido.

Poderão aqui descarregar o programa.

segunda-feira, 16 de maio de 2022

Centronics/RS 232 (MIA)


Partilhamos agora mais um pequeno utilitário criado pela Morex Peripherals e que ainda se encontrava por preservar. Estava incluído num enorme lote que adquirimos.

Poderão aqui descarregar o programa.

Locked in!


Nome: Locked in!
Editora: NA
Autor: Simon Allan
Ano de lançamento: 2022
Género: Aventura de texto
Teclas: NA
Joystick: NA
Memória: 48 K
Número de jogadores: 1
Link para descarga: Aqui

Os Escape Rooms, desde há uns tempos para cá que passaram a ser moda. Por exemplo, em Lisboa existem já inúmeros espaços, qual deles apresentando os quebra-cabeças mais complexos. A própria Sétima Arte também já há bastante tempo que vem adoptando ideias que derivam directamente deste tipo de desafios. Veja-se as sagas de Saw ou The Cube, por exemplo, apenas para nomear dois dos mais terroríficos. E como não podia deixar de ser, também os videojogos não ficaram imunes à moda, nomeadamente o ZX Spectrum. E se o género de aventuras de texto não é do agrado de todos, o facto de se transpor este tipo de charadas para este tipo de jogos, poderá fazer com que ganhe mais alguns adeptos, em especial quando os desafios são interessantes, como é aqui o caso.

Tudo começa quando os nossos amigos nos oferecem como prenda de anos uma visita a um novo Escape Room. No entanto, este Escape Room é tudo menos amigável, constituído por 11 salas, as quais vamos acedendo sequencialmente, sempre que resolvemos o quebra-cabeças daquela onde nos encontramos. E à medida que vamos avançando, os puzzles são também mais exigentes, alguns deles diabolicamente difíceis e associados a um sentido de humor a remeter para os filmes mencionados no primeiro parágrafo. Claro que aqui é tudo um pouco mais leve, portanto não se espere ser degolado apenas porque fomos ver se a porta que dava para anova sala estava aberta. Mas não deixam alguns deles de provocar um arrepio na espinha, em especial a partir da porta número quatro.

A capacidade de interesse de um jogo com estas características, ainda mais não tendo qualquer tipo de imagem, mais do que assentar na qualidade dos textos, reside na qualidade dos quebra-cabeças apresentados. E Locked in! leva nota máxima nestes aspecto, pois mete-nos a pensar intensamente em tudo aquilo que vemos (e que não vemos) na sala. Os textos são esparsos, mas também mais não era necessário, tudo o que é preciso saber consta nas meia dúzia de linhas que são apresentadas.

Para quem estiver em dificuldades, o comando "Help" pode ser de alguma ajuda, mas também não esperem por milagres. S enão pensarem "lateralmente", não irão longe. Vejam o problema sempre de diversas perspectivas, pois isso irá ajudar a clarificar algumas situações (sim, isto é uma dica...).

Locked in! é então uma excelente aventura, que tem o condão de ser do agrado mesmo de quem normalmente foge do género, como é o caso de um dos colaboradores de Planeta Sinclair. Quem sabe, seja este o momento de viragem...

domingo, 15 de maio de 2022

Demos and Games (MIA)


Confessamos que esta cassete nos deixou confusos. Parece ter sido uma cassete compilada em casa, com alguns jogos e demos pelo meio. Por outro, encontram-se alguns MIA's, como é o caso de Blasteroids (assim como jogos já preservados). Se por acaso alguém souber que edição é esta, por favor, diga-nos.

Poderão aqui descarregar Demos and Games, cortesia de Steven Brown.

LOAD ZX 40 - sessão de apresentação do livro


Continuamos a partilhar as várias sessões do evento de celebração do 40° aniversário do ZX Spectrum. Este novo vídeo é da sessão de apresentação do livro “Os Programadores Portugueses”, o primeiro com a chancela do Museu.

Lançado no dia 23 que era Dia Mundial do Livro, foi apresentado pelo autor André Luna Leão, criador do blogue Planeta Sinclair, numa sessão que contou também com João Diogo Ramos que escreveu o prefácio do mesmo. 

O filme desta sessão irá estrear agora no Domingo, dia 15 de Maio, às 21h de Portugal e, naturalmente, estaremos online a comentar e responder a quaisquer questões que possam surgir. Até lá.

The Virus

Ora aqui está uma ideia muito simples, a funcionar na perfeição... 

The Virus é um dos jogos mais originais dos últimos tempos. Praticamente sem gráficos, temos que mover um pequeno ponto preto que atrai todo o tipo de vírus (os pequenos pontos pretos, ainda mais pequenos). Existem depois outros quadrados que quando tocados pelos vírus, sofrem variados efeitos. Alguns fazem-nos desaparecer, outros têm um efeito contrário. E outros são apenas empecilhos.

Além disso, temos que contar com a inércia, dificultando o controlo do nosso ponto que, no entanto, move-se com uma graciosidade imensa. 

Assim, The Virus, programado em C com z88dk, está muito bem implementado e é garantia de divertimento para um bom par de horas ao longo dos seus 17 níveis. Para isso basta aqui vir descarregá-lo, cortesia de Derekfountain.

O Castelo dos Arnas com ecrã de carregamento


Não há nada que o Zé Oliveira não faça em prol da comunidade. Ainda há uns dias tínhamos partilhado O Castelo dos Arnas, um post no qual nos lamentávamos por não termos o ecrã de carregamento, e já o Zé construía um, tal e qual como estava feito originalmente. Temos assim oportunidade de ficar com mais um interessante programa português completo. Era agora engraçado os programadores originias darem com esta notícia...

Poderão aqui vir descarregar a nova versão de O Castelo dos Arnas, cortesia do Zé Oliveira, a quem muito agradecemos.

CM: Os Jogos no Computador - 065

A 14 de Outubro saiu mais uma edição de "Os Jogos no Computador", o espaço do Correio da Manhã dedicado aos videojogos para as mais variadas plataformas.

Na secção de leitores destacamos o colorido mapa de "Jungle Warrior" e a apresentação de vários clubes: "Aficionados da Informática" e "Alhadas Soft". Também é feita uma análise à fanzine "New Soft".

Como habitualmente, a digitalização desta edição (realizada por Mário Moreira) pode ser obtida neste link.

sábado, 14 de maio de 2022

Dark Storm & Virus (MIA)


Quer Dark Storm, quer Virus, já estavam preservados. No entanto, em 1990 foram lançados como compilação via Global Games, e este lançamento ainda estava dado como perdido. Foi o que Steven Brown conseguiu recuperar, quem sabe algum dos programas seja uma variante...

Poderão aqui descarregar a compilação.

Xadrez (MIA)


Incrivelmente Xadrez, dos jogos mais conhecidos e populares lançados pela Timex, tinha uma versão que ainda se encontrava por recuperar. Pois aqui está ela...

Para carregarem o jogo terão que utilizar um emulador que tenha o TC 2068, ou então usar a máquina real, claro.

Poderão aqui descarregar Xadrez.

sexta-feira, 13 de maio de 2022

Crusaders: Cross-Purpose (MIA)


Steven Brown enviou-nos mais uma daquelas pérolas: Crusaders: Cross-Purpose. Não encontrámos o jogo anunciado em lugar algum, embora a editora Biblechip, tal como o nome o dá a entender, seja conhecida pelas suas publicações religiosas.

Experimentámos a aventura e é bastante interessante, com gráficos bastante jeitosos, sendo estranho que tenha passado completamente despercebida na comunidade. De qualquer forma, encontra-se agora preservada, bastando para isso vir aqui descarregá-la.

A Capital: Pokes & Dicas - 12 de Agosto de 1988

Hoje vamos directamente para 12 de Agosto, uma vez que a edição de dia 5 já tínhamos disponibilizado à comunidade (ver aqui).

E tudo começa com algo que não está relacionado com o ZX Spectrum: um anúncio de página completa com portáteis da época. Vale a pena espreitar...

Depois tem a review de um jogo de 16 bits, mostrando a tendência futura.

Temos também reviews de alguns jogos, nenhum que tenha sido memorável, e muitos mapas, mostrando que a comunidade portuguesa estava a contribuir à grande (talvez não seja alheio o facto de que a Capital começou a oferecer cassetes ás melhores contribuições).

Podem vir aqui descarregar o suplemento.

Saiu Smudge: Bad Moonee Rising


E temos novo programador! Clebin pegou num original de 1985 que recriava a vida de um limpa-chaminés (Smudge & the Moonees), deu-lhe nova roupagem, um nome a fazer lembrar um célebre álbum de Sonic Youth, e lançou Smudge: Bad Moonee Rising.

Numa primeira abordagem, os gráficos parecem bastante atractivos e não temos dúvidas que irá suplantar o original. Veremos depois como se porta numa análise mais aprofundada. Não sabemos quando a iremos fazer, pois devido à falta de tempo não temos tido tempo de experimentar tudo o que tem saído, muito menos escrever as reviews. Alguém se candidata ao cargo?

Poderão aqui vir descarregar o jogo e dar uma pequena contribuição ao seu autor, que bem a merece.,

Tutorial do Concurso #12: Patrulha nos Asteroides

Apresentamos hoje mais um pequeno jogo escrito em BASIC Apascalado para familiarizar os concorrentes com esta técnica insólita de programar no ZX Spectrum. Os jogos vão ser todos escritos em inglês para benefício dos concorrentes estrangeiros.

Entrem crianças, entrem. Sentem-se que vamos começar imediatamente. Sei que estão ansiosos por conhecer a história da Patrulha Nos Asteroides. E, quem sabe, talvez quando forem grandes, também queiram ser patrulheiros. Se olharem para o ecrã podem ver alguns dos nossos heróis.

Na primeira patrulha foi usada uma nave em segunda mão para patrulhar o sector 81. Para as 4 patrulhas seguintes fomos até à nossa garagem e fizemos naves semelhantes. Essas naves serviram-nos bem porque o sector 81 não tinha inimigos - o único problema era abastecer a nave de combustível. Podem ver aqui a nave da patrulha número 5 que agora está exposta no museu.

Para a Patrulha número 6 fizemos uma nave mais avançada com warp speed e aventurámo-nos até ao sector Spectrum. Essa nave foi destruída mas, podem ver aqui a nave que foi usada na patrulha número 7 que era semelhante à da patrulha número 6.

Mas o sector Spectrum revelou-se mais perigoso pois encontrámos inimigos. Então, na patrulha número 8 tivémos que montar armas na nave. 

Podem ver aqui a primeira nave com armas que também está exposta no museu.

Nesta nave da patrulha número 8 experimentámos viajar pelo hiperespaço mas tivémos que desistir disso, pois provocava psicoses nos tripulantes. 

Depois disso, conseguimos deitar as mãos a uma nave inimiga e com os motores que retirámos da nave e fizemos uma nave de alta manobrabilidade. Podem ver aqui essa nave.

Infelizmente não conseguimos reproduzir essa tecnologia e não fizemos mais naves assim. Mas também não foi necessário porque essa nave era invencível e, assim, limpámos todos os sectores de asteroides.

Finalmente, este ano o governo autorizou o orçamento para mais uma nave. Podem ver no ecrã a nossa mais recente construção acabada de sair da fábrica.

Convidamos os leitores a examinar as listagens e a fazer alterações no programa. Todos os programas BASIC Apascalado que apresentamos nesta série podem ser melhorados e todos os leitores estão convidados a melhorá-los.

Para ler as duas listagens é mais fácil aqui.

Para fazer download dos vários ficheiros, clica aqui.

Para jogar online, clica aqui.

Quem estiver interessado em participar no concurso, pode ler o regulamento aqui.

quinta-feira, 12 de maio de 2022

Crusade (MIA)

Ora aqui está algo que não se vê todos os dias, um MIA desenvolvido com o motor H.U.R.G.. Quer isso dizer que para carregarem o jogo, terão que antes carregar o próprio H.U.R.G., só depois terão acesso ao menu inicial que permite jogar ou até modificar Crusade.

É mais um jogo que vem da colecção privada de Steven Brown, podendo aqui ser descarregado.

Evento 40 anos – a aventura (re)começa, agora em vídeo

O evento de celebração do 40° aniversário do ZX Spectrum em Portugal foi um marco histórico. 

Muitos estiveram em Cantanhede e puderam testemunhar o evento, mas nem todos conseguiram ver as diversas sessões e, outros ainda, não puderam estar presentes. 

De todo o lado foram-nos chegando pedidos para lançar os vídeos do evento. 

É chegado o momento de anunciar que vamos disponibilizar as diversas sessões no canal de YouTube do museu ao longo das próximas semanas – subscrevam o canal e estejam atentos. Alguns dos vídeos em português irão ser ainda legendados. 

A sessão "Clive Sinclair, O Homem antes do Inventor", com Crispin Sinclair, filho de Sir Clive Sinclair, será a primeira a ser lançada. Juntem-se a nós na quinta-feira, dia 12 de Maio às 21h de Portugal, para a estreia deste primeiro vídeo.

Como de costume estaremos online a comentar e responder a quaisquer questões que possam surgir. Até lá! 

The Royal Game of Ur


Nome: The Royal Game of Ur
Editora: NA
Autor: Mark Bennett
Ano de lançamento: 2022
Género: Jogo de tabuleiro
Teclas: NA
Joystick: NA
Memória: 48 K
Número de jogadores: 2
Link para descarga: Aqui

Quem nos conhece sabe que somos aficionados dos jogos de tabuleiro, nomeadamente quando tem mais do que a sorte, isto é, estratégia envolvida. É o caso de The Royal Game of Ur, um antigo jogo da Mesopotâmia que desconhecíamos por completo. O passo seguinte vai ser comprar um tabuleiro físico, mas até lá vamo-nos contentando em jogar no ZX Spectrum. E até permite dois jogadores em simultâneo, o que é uma vantagem quando se tem a família em casa...

As regras são muito simples. O tabuleiro tem três planos (ou linhas). Uma específica de cada jogador, o que quer dizer que quando as suas peças se encontram nessas linhas, estão em segurança, e uma a meio, no qual os adversários se podem digladiar entre si. Isso acontece quando existe uma peça colocada nessa linha e o adversário tira pontos exactos com o dado para colocar uma das suas peças sob essa. A peça que se encontrava no tabuleiro então desaparece, voltando para a grelha de partida (um pouco como o Ludo).

Mas ao contrário do Ludo, que quase por inteiro envolve apenas a sorte (ou azar) aos dados, The Royal Game of Ur tem muito mais estratégia envolvida. As rosetas (existem cinco no tabuleiro), além de permitirem ao jogador fazer nova jogada (a propósito, os dados vão de zero a quatro), a que se encontra na linha intermédia em plena zona de combate é também um ponto de segurança. O jogador que posicione lá uma peça, não a vê retirada pelo adversário. Assim, muito da estratégia associada a este jogo passa por controlar a roseta do meio, mas também saber quando se utilizar as restantes rosetas (duas para cada jogador), que permitem a repetição de jogadas. A ter em conta ainda o facto de apenas poderem sair do tabuleiro peças quando um número exacto de pontos no dado que é perfazido. 

Sendo o programa desenvolvido maioritariamente em Basic, nota-se alguma lentidão, mas a maior lacuna até está associada à fraca IA do adversário (quando jogado contra o computador). É relativamente fácil vencer o desafio, pois a prioridade do computador é sempre tirar as peças em vezes de controlar os pontos fulcrais do tabuleiro. Agora, se arranjarmos um adversário à altura, o jogo aumenta em muito o seu interesse.

Saiu Italianate


Andy McDermott tem andado relativamente calmo, com poucos lançamentos nos últimos tempos, o que de resto é uma tendência da própria comunidade. No entanto, lançou agora uma nova aventura de texto, com uma atmosfera fantasmagórica, passada numa pequena vila Italiana.

Será jogo para analisarmos quando tivermos um pouco de tempo disponível, mas até lá poderão vir aqui descarregá-lo.

quarta-feira, 11 de maio de 2022

Crossword Compiler (MIA)


As palavras cruzadas eram muito populares nos anos 80, aparecendo em tudo o que era jornal (ainda hoje alguns têm). E pelos vistos não era apenas em Portugal, pois também existem inúmeros programas feitos no Reino Unido, sendo que um dos que ainda não estava preservado foi desenvolvido pela Byron Software em 1985.

Agora, graças a Steven Brown temos acesso ao programa, podendo aqui ser descarregado.

VideoBasic número 12

Continuando a partilhar a colecção VideoBasic, desta vez temos o número 12 (cassete + revista). Mais uma vez podem contar com imensas dicas, utilitários e até alguns jogos. É sem dúvida a melhor publicação do género.

Poderão vir aqui descarregar o número 12 da VideoBasic.