segunda-feira, 20 de novembro de 2017

B-Squared


Nome: B-Squared
Editora: NA
Autor: Paul Jenkinson
Ano de lançamento: 2017
Género: Acção
Teclas: Não redefiníveis
Joystick: Kempston, Sinclair
Número de jogadores: 1

Paul Jenkinson tem andado mais calmo ultimamente, mas apenas no que diz respeito aos jogos, pois no restante continua bastante activo, fornecendo-nos regularmente o magazine e vídeo do The Spectrum Show. Mas tinha sido já em Março deste ano que tinha lançado Code Zero e que na altura tão boas sensações nos deixou. Oito meses depois termina então B-Squared, com um conceito totalmente diferente dos seus últimos jogos.

A nossa tarefa é muito simples, temos "apenas" que dirigir um cubo para a porta de saída, evitando alguns inimigos, que vão aumentando em número à medida que vamos subindo de nível (e são trinta e um, no total), pisos armadilhados, espigões que evitam que possamos subir para algumas plataformas, etc.. Se dirigir o cubo é muito fácil, pois apenas temos as teclas de esquerda, direita e subir, já chegar ao ponto que pretendemos alcançar é uma tarefa um pouco mais árdua, uma vez que são muitos os obstáculos que temos pelo caminho, como poderão ver no screenshot abaixo.


Em alguns cenários, para atingirmos a porta de saída, temos que activar previamente algumas plataformas, e claro que o botão está no ponto menos conveniente. Terão quer ter também algum cuidado ao activar essas plataformas, pois, por vezes, terão que encurralar os inimigos de forma a que este não vos bloqueiem o trajecto de saída.

Tal como todos os bons jogos, os primeiros níveis são bastante fáceis, apenas de ambientação, mas a partir de certo ponto já terão que ponderar muito bem o trajecto que vão fazer. É que não se trata apenas de posicionar o cubo no ponto correto (este não tem a capacidade de saltar), há que escolher o timing exacto para se fazerem à vida.


Uma vantagem (ou desvantagem, já que diminui o grau de dificuldade e, como consequência, a longevidade), é o facto de não existir um tempo limite para completar cada nível. Assim, apesar de alguns dos níveis serem complicados, mais cedo ou mais tarde completam o jogo, já que têm a possibilidade de aguardar todo o tempo que precisam para que um inimigo se meta na posição mais favorável de modo a poderem avançar sem grandes sobressaltos.

Os gráficos são simples, quase espartanos, mas muito coloridos, e o som, na versão 128 K, agradável, sendo da autoria de Sergey Nilov, contribuindo para criar um ambiente alegre. Sendo a jogabilidade bastante boa, ficarão seguramente satisfeitos com a experiência e irão passar umas boas horas a fazer rodar o cubo.

B-Squared é gratuito e pode aqui ser obtido.

Sem comentários:

Publicar um comentário