segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Harbinger 2 - the Void


Nome: Harbinger 2 - the Void
Editora: NA
Autor: Apsis
Ano de lançamento: 2018
Género: Acção
Teclas: Não redefiníveis
Joystick: Kempston, Sinclair
Número de jogadores: 1

Decerto ainda se lembrarão de Harbinger Convergence, um dos grandes jogos de 2016 e que apenas não teve uma pontuação mais elevada por conter alguns bugs, que eventualmente até poderão já estar corrigidos. Entretanto chega a sequela, intitulada de The Void. E a primeira coisa que raparam é que a estética subjacente à primeira aventura mantém-se aqui, com alguns extras e um manual com uma estética sci-fi perfeitamente adequados ao jogo.


E se na primeira aventura o jogo tinha duas partes, esta sequela tem três (em modo 128 k), cada qual com o seu loading screen, aumentando ainda mais a tarefa que temos em mãos. Mas poderão livremente embrenhar-se em qualquer uma das partes, pois não são exigidos códigos de acesso, o que desde já é um alívio para muitos. E se achavam que o que vos era dado era pouco (sim, este lançamento é inteiramente gratuito, imagine-se), têm ainda uma bonita introdução com uma série de screens a enquadrarem-vos nesta aventura.

Se bem se recordam, a primeira aventura passava-se em Tantalus. Tendo escapado desse planeta na nossa nave, esta teve uma avaria a meio da viagem e deparamo-nos agora com uma ameaça ainda maior: piratas do espaço. Está assim dado o mote para mais um grandioso jogo, fazendo em muitos aspectos lembrar o mítico Rex, que até vai ter um remake para o Spectrum Next este ano (foi um dos perks da campanha de crowdfunding). Mas vamos descrever um pouco de cada uma das partes.

Parte 1 - Outlands

A primeira parte passa-se nas Outlands, que é como quem diz, nos territórios longínquos. Ao longo de cerca de quarenta ecrãs têm que ir negociando todos os obstáculos com que se deparam, nomeadamente robôs e soldados, tendo sempre o cuidado de não cair em falso nos oceanos de ácido sulfúrico, pois ai perdem de uma assentada todas as vidas (começam com três, mas poderão ir obtendo mais ao longo do caminho).


Parte 2 - Complex

A segunda parte é passada no complexo. Aqui os cenários mudam significativamente, e de paisagens de montanha e ácido sulfúrico (e depois de fazermos uma descida vertiginosa ao longo de um túnel), passamos para um cenário mais industrial. Mas também aqui a ordem do dia é disparar primeiro e perguntar depois. Aliás, convém quando entrarem num novo ecrã desatarem a disparar, pois assim conseguem desde logo eliminar alguns inimigos mais chatos.

Enquanto que a primeira parte tinha um caminho mais imediato, nesta segunda terão que explorar todo o complexo até chegarem ao ponto de acesso à parte 3. Temos portanto um elemento exploratório e que contribui para aumentar o nível de dificuldade desta segunda parte, talvez a mais difícil das três.


Parte 3 - PWA Core

Nesta terceira parte temos que então encontrar o aparelho Tau-Tech que nos permite completar a missão. Se bem que aqui os inimigos necessitem de muitos tiros para serem abatidos, pareceu-nos ser efectivamente a parte mais fácil, uma vez que apenas têm cerca de meia dúzia de ecrãs para negociar. Mas é sem dúvida aquela que apresenta os cenários mais bonitos e imaginativos.


Se ao nível mecânico, e apesar de ter sido utilizado o motor MK 2, as semelhanças com Rex são mais que muitas, também ao nível gráfico a similaridade se mantém. Ou seja, quem gosta de Rex, e são raras as pessoas que não gostam, vão certamente adorar Harbinger. Os outros, bem, os outros devem sem dúvida alguma dar uma oportunidade a este jogo, pois tudo o que aqui vão encontrar, incluindo a música, é de alto gabarito.

Harbinger 2 - the Void é gratuito, podendo ser aqui obtido. Aguardamos agora ansiosamente pela prometida terceira parte desta trilogia.

Sem comentários:

Publicar um comentário