terça-feira, 6 de março de 2018

In Nihilum Reverteri


Nome: In Nihilum Reverteri
Editora: NA
Autor:  Yerzmyey e Hellboj
Ano de lançamento: 2018
Género: Aventura de Texto
Teclas: Não redefenível
Joystick: NA
Memória: 128K
Número de jogadores: 1

Tal como anunciámos em janeiro, In Nihilum Reverteri foi traduzido para inglês, ficando assim acessível a uma maior franja de público. Devemos também avisar que o que aqui temos não é uma mera aventura de texto, nem sequer uma "choose your own adventure". É bastante mais do que isso, tendo inclusive sido financiado pelo Ministério da Ciência e da Educação Polaco. Aliás, nas parcas instruções que acompanham este lançamento, é até referido como uma demo.

Deixamos também uma segunda nota. Para correrem o jogo, e se não estiverem a usar um computador real, terão que colocar o emulador no modo USR 0 e em modo 128 K (pelo menos), única forma de fazerem correr os longos textos e pinturas que constam de In Nihilum Reverteri. Quase apetece dizer que estamos aqui perante um livro.


Estes longos textos são mesmo o ponto forte do jogo, mas também o seu ponto fraco. É que são muito poucos aqueles que terão paciência para ler páginas e páginas de texto, por mais interessantes que sejam. Se olharmos numa óptica de se enquadrar o jogador / utilizador, então leva nota máxima. Olhando num óptica de quem quer passar alguns bons momentos com uma aventura de texto, sem se preocupar com longas narrativas, então rapidamente irá abandonar In Nihilum Reverteri.

Isto tudo para dizer que nos foi extremamente difícil classificar este jogo e dai termos optado pro uma nota intermédia, correndo obviamente o risco de sermos injustos, pois sem dúvida que o trabalho que os programadores e o tradutor tiveram com este lançamento terá sido monstruoso, e desde já se louva terem-se dado a este trabalho, sabendo-se de antemão que era dirigido apenas a um pequeno nicho de mercado.


De resto, estamos perante uma típica "choose your own adventure", tão em voga actualmente, mas que tem todas as limitações próprias deste género de jogo, isto é, depois de vos ser apresentada uma situação, existem duas opções disponíveis que vão influenciando o rumo da aventura. Mas apenas uma delas é a resposta certa, o que quase faz com que seja um exercício de sorte até chegarem à solução final. Eventualmente irão lá parar, mas isso limita fortemente a longevidade deste tipo de jogos.

Por outro lado, e para não saturar o jogador com páginas e páginas de texto, são apresentados alguns gráficos após as acções, que efectivamente são interessantes, se bem que maioritariamente a preto e branco. A música também é bastante boa, ou não fosse da autoria do músico Yerzmyey, que também é responsável pelo grafismo.

Não sendo um jogo para todos, julgamos que deverão dar uma espreitadela e avaliar por vós. Alguns irão adorar, outros odiar. No meio termo é que não deverá haver muitos.

Podem assim aqui vir descarregar In Nihilum Reverteri.

Sem comentários:

Enviar um comentário