sábado, 18 de maio de 2019

Birdy Cantabile


Nome: Birdy Cantabile
Editora: NA
Autor: IADVD
Ano de lançamento: 2019
Género: Plataformas
Teclas: Não redefiníveis
Joystick: Kempston, Sinclair
memória: 48 K
Número de jogadores: 1

Birdy é um pequeno pardal que quer tornar-se um maestro da música prestigiado, sendo hoje precisamente o dia dos seu primeiro concerto. Depois de muitos ensaios, todos os passarocos reuniram-se no salão principal para assistir à apresentação do pequeno pardal dos telhados. A agitação era muita, e todas as aves estavam em pulgas para ver os dotes de Birdy. No entanto, com tanta sacudidela de asas, as páginas da partitura voaram e encontram-se agora espalhadas pelas diversas salas. Eis a história para o novo mini-jogo de IADVD, depois de uma estreia auspiciosa com Rade Blunner.

Este jogo faz-nos lembrar um pouco os criados por Sebastian Braunert. Por um lado é pequeno, dando para descontrair por alguns momentos. Por outro, também aqui os animais e a música são predominantes. E até a nível gráfico, pese embora Sebastian use o Arcade Game Designer ou o SEUD, e IADVD o MK1 (La Churrera), encontramos muitas semelhanças.

Como também já perceberam, estamos perante um típico jogo de plataformas. Existem apenas nove salas, estando as diferentes páginas que se tem que encontrar espalhadas por oito delas (a nona é a sala central). Depois de cada página recolhida, Birdy terá que a trazer até ao "The Main Hall" e depositá-la na partitura, podendo partir em busca da próxima (apenas pode carregar uma de cada vez).


Mas o jogo tem algumas nuances que o diferenciam de outros do género. Assim, existem duas peças musicais diferentes, além disso, as páginas, cada uma com a sua numeração, estão espalhadas aleatoriamente pelas salas, o que implica que cada jogo é diferente do anterior. E o objectivo final é colocar as páginas na ordem correcta (da um até à oito). E como é que se sabe qual a página que se encontra em cada sala? Para isso Birdy tem que primeiro ir a uma pequena caixa de música que se encontra na sala, que indica qual o número de página que ai se encontra.

É também necessário algum cuidado, pois assim que Birdy toca numa folha, automaticamente a apanha, e não lhe resta outra alternativa senão levá-la até à partitura, ficando a melodia final mutilada (experimentem a colocar as páginas numa ordem incorrecta e terão um final diferente daquele que têm quando se coloca na ordem certa). Afinal de conta, os pardais são aves afinadas e gostam pouco de desafinações...


A tarefa é dificultada por algumas notas musicais que enlouqueceram e que vagueiam de forma descontrolada pelas salas. Birdy tem que as evitar a todo o custo, assim como alguns picos que se encontram no chão. Se lhes toca, lá se vai mais uma vida. E embora este comece com oito, essas esgotam-se num ápice, não obstante os pardais por vezes deixarem algumas à disposição do candidato a maestro (na forma de corações vermelhos).

Como mini-jogo, Birdy Cantabile é entretimento q.b. para uma hora. Os obstáculos ultrapassam-se com maior ou menor dificuldade, e depois de passarmos várias vezes pelas mesmas salas, porque a isso somos obrigados, encontramos facilmente o melhor caminho. O maior problema é mesmo memorizar os números de página por forma a passar pelo menor número de salas possível. Desta forma, a longevidade é bastante limitada, mas também o jogo não tinha pretensões a mais.

2 comentários:

  1. Muito Obrigado André! :) the limitations of the 48K memory led to a minigame. I will try in the future to make a 128k version, I think I can add 5 songs in a multilevel game (instead of small 1 song-games, have a single game with 5 levels and a bigger map). This will give more "Longevidade" to the game and I hope a better gaming experience. Cheers! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Thanks, the game was a very enjoyable experience, a bigger version would be wonderful :)

      Eliminar