terça-feira, 15 de maio de 2018

Mad Mix 2: No Castelo dos Fantasmas


Nome: Mad Mix 2: No Castelo dos Fantasmas
Editora: Topo Siglo XXI
Autor: Rafael Gomez Rodriguez, ACE, Alfonso Fernandez Borro, Antonio Moya, T.P.M.
Ano de lançamento: 1990/2018
Género: Labirinto
Teclas: Redefiníveis
Joystick: Kempston, Interface Two
Memória: 48/128K
Número de jogadores: 1


Dois anos depois de ter sido lançado Mad Mix Game, em 1988, a Topo Soft lançou a sequela. E vinte e oito anos depois, Alfonso Fernandez Borro (aka Borrocop), à semelhança do que tem vindo a fazer ultimamente (Em Busca do Mortadela, Topo Mix Game e Viagem ao Centro da Terra (versão Estendida)), pediu-nos para traduzirmos Mad Mix 2 para a nossa língua, desde logo adicionando-lhe um belíssimo loading screen.

Desta vez o simpático Mad Mix encontra-se num castelo assombrado em Cococastle, perto de Cocovillage, a sua aldeia natal. Neste castelo acontecem coisas muito estranhas e cabe ao nosso herói desvendar o mistério e tornar novamente pacífica esta região.

Está assim dado o mote para mais um jogo ao estilo do velhinho Pacman. Mas existem algumas diferenças substanciais, que desde logo aumentam o interesse deste jogo. É que acção desenrola-se agora em 3D, permitindo novos tipos de movimentos a Mad Mix. Assim, este pode agora saltar, muito útil quando queremos escapar aos fantasmas e outras assombrações do castelo. Mas cuidado, pois nem todos vão na cantiga e alguns deles também têm a capacidade de saltar.

Mad Mix 2 desenrola-se ao longo de nove níveis, com crescente dificuldade, e tal como no seu antecessor, não estamos aqui perante ecrãs estáticos. Muito pelo contrário, cada um dos níveis corresponde a uma secção do castelo, e esta é bastante extensa, sendo no entanto necessário percorrer todas as salas e corredores, única forma de se conseguir apanhar todas as pílulas que permitem avançar ao nível seguinte.


Se os gráficos já eram muito bons em Mad Mix Game, nesta sequela são ainda melhores. De facto, os efeitos 3D são simplesmente maravilhosos, apresentando ainda um scroll harmonioso, o que contribuí para uma jogabilidade, no mínimo, óptima. Muitas vezes as sequelas deixam muito a desejar, mas não é aqui o caso, pois estamos perante um jogo tão bom ou ainda melhor que Mad Mix Game.

Outro aspecto que muito nos agrada nesse jogo está relacionado com os desafios propostos. Assim, os primeiros níveis não têm uma dificuldade por ai além. Os fantasmas não são muitos, e os próprios corredores não contemplam muitas armadilhas (atenção onde pisam, pois algumas placas terão que ser evitadas a todo o custo). Ou seja, é daqueles jogos que facilmente se entra e que tem logo o condão de nos cativar desde o início, convidando-nos a ganhar experiência, muito necessária para os últimos níveis. O nono, então, é diabolicamente difícil e só os mais dotados conseguirão superar todas as armadilhas que ai vão encontrar.

A nosso favor, além da capacidade de saltar por cima de alguns adversários, existem as pílulas especiais que nos permitem durante uns segundos comer os inimigos, ou ganhar super-velocidade (nem sempre positivo). Além de alguumas rolhas que, se colocadas no sítio certo, evitam o aparecimento de novos fantasmas durante certo tempo.


Quem conhece os jogos do género, sabe o que vai aqui encontrar. Apenas podemos dizer que as expectativas serão plenamente satisfeitas. Os restantes, não tão versados nos jogos de arcada, deverão dar uma oportunidade a Mad Mix 2, pois este é daqueles jogos que entranham até ao tutano.

Poderão aqui descarregar Mad Mix 2: No Castelo dos Fantasmas, exclusivo de Planeta Sinclair e fruto mais uma vez da parceria que temos com Borrocop.

Sem comentários:

Enviar um comentário