domingo, 19 de julho de 2020

Road Trippin'


Nome: Road Trippin'
Editora: Joesoft
Autor: John Davies
Ano de lançamento: 2020
Género: Acção
Teclas: Não redefiníveis
Joystick: Kempston, Sinclair
memória: 48 / 128 K
Número de jogadores: 1

Não é a primeira nem a última vez que o dizemos, mas por vezes, os jogos mais simples são os mais cativantes. E Road Trippin' vem provar isso mesmo. Natural herdeiro de Cruising on Broadway e Maze Death Rally, a simplicidade do novo jogo de John Davies remete-nos para os primórdios do ZX Spectrum, onde o mais importante não era apresentar gráficos ou som XPTO, mas sim uma boa jogabilidade. Com o tempo foi-se aprimorando a vertente gráfica, na inversa proporção da simplicidade e jogabilidade. Quando entraram em cena os famigerados multiloads, pelo menos para quem não tinha um 128K, o fascinio foi-se perdendo. Claro que hoje em dia com os emuladores ou os sistemas que carregam snapshots é tudo muito mais fácil, mas é refrescante de vez em quando aparecer um jogo que nos faz relembrar a primeira década dos anos 80. E Road Trippin' tem esse condão.

John também criou uma história conveniente para o jogo. Assim, assumimos o papel de um aventureiro que vai agora fazer a viagem da vida dele. Vamos passar por muitos locais exóticos dos cinco pontos do mundo e em cada um deles teremos que recolher as mais variadas lembranças. Conduzimos um bólide de Fórmula Um (na realidade é um buggy), o que não é relevante para o caso, mas o que não imaginámos é que esses locais têm uma verdadeira praga, que são os moradores, e que por mera coincidência também se deslocam em bólides de Fórmula Um, de forma perfeitamente aleatória, tendo uma tendência enervante para nos abalroarem e fazer-nos perder mais uma vida.


Os locais são também labirínticos, e em níveis mais avançados até apresentam algumas armadilhas, como sinais que fecham as estradas e dos quais teremos que nos desviarmos. Naturalmente que a viatura consome combustível, pelo que teremos também que ter em atenção o seu nível (começa no 99 e se ficamos com o depósito vazio, perde-se mais uma vida). No entanto, nem tudo é mau ou caótico, pois periodicamente aparecem power-ups que supostamente nos ajudam na missão, nomeadamente combustível extra, pontos, ou até parar momentaneamente os moradores da cidade, se bem que continuemos sem lhes poder tocar. Dizemos supostamente porque apenas está um ícone de cada vez no ecrã, e se estiver um destes power-ups, então teremos que o apanhar, antes de poder ficar disponível a lembrança. E só passamos ao nível seguinte quando apanhamos nove lembranças.

Como se pode ver, tudo parece muito simples. O problema é que a velocidade com que a acção decorre está ao nível da viatura que conduzimos, isto é muito rápido. E não é fácil estar de olho nos dois moradores que vagueiam erraticamente pela cidade, nas lembranças ou restantes ícones, e ainda estarmos preocupados com os sinais que barram a estrada ou o nível de combustível. Ufa, é uma verdadeira canseira, imaginem se nos deslocássemos a pé.


Os gráficos, apesar de pequenos, são bastante detalhados e cumprem eficazmente com a missão a que se destinam. Gráficos mais pormenorizados ou maiores, além de obviamente retirar velocidade ao jogo, iriam distrair-nos e dificultar ainda mais a missão.

Por outro lado, o som é minimalista. Haverá mais à frente uma versão com melodia do Pedro Pimenta, mas para já ainda não está disponível, pelo que apenas avaliamos o jogo por aquilo que existe.

Assim, Road Trippin' tem aquele toque de "vamos lá jogar mais uma vez", é cativante, viciante, apenas não sabemos se tem fim, ou se por outro lado vamos avançando nos níveis, repetindo-se depois os cenários, mas com nomes diferentes. Eventualmente será um exercício sem fim, sendo o objectivo o de fazer o máximo de pontuação (veremos isso quando tivermos mais tempo para lhe dedicar). Independentemente disso, é um jogo muito divertido, sem dúvida o melhor de John Davies até à data, que tem vindo a demonstrar um evolução fantástica. Ah, é é um prazer ver um jogo criado com o AGDx que foge ao figurino habitual dos jogos de plataformas.

2 comentários:

  1. Thanks for the wonderful review, and score of 9/10, even with minimal sound LOL

    ResponderEliminar