quarta-feira, 7 de abril de 2021

Sex on First Date (versão 2021)


O imparável Sebastian volta à carga com mais uma colaboração, já que os seus projetos (e da Team Moritz) estão temporariamente parados por razões pessoais. Como o "bichinho" do Spectrum não o larga, ele não resistiu em dar uma nova vida a um jogo do Gabriele Amore de 2015. Nesta nova versão, temos a adição de três músicas deste vosso escriba, todas elas temas antigos que ou nunca foram usados ou tiveram pouca exposição, tendo sido retrabalhados especificamente para este jogo.

Com este mini-jogo, concorrente do comp.sys.sinclair Crap Games Competition, Gabriele venceu a competição levando para casa o prémio de melhor jogo, o que seria bom sinal, não fosse nesta competição o objetivo tentar criar o pior jogo possível.

Aqui controlamos Stickman, que seduzido por Helen Blond, se deixa levar pelos seus encantos até que ambos se envolvem. Como indica o screen inicial, este é um "Sex Education Game", ou seja, aqui o objetivo é gerirmos a resistência do nosso herói ao passar por três níveis / posições - Missionary, Girl on Top e Shower Sex - sem acabarmos antes da nossa parceira. O ideal será que ambos consigam alcançar o orgasmo em sincronia, mas não será tarefa fácil...


Caso nos movamos muito lentamente, não chegamos a lado nenhum e a situação "não aquece nem arrefece" e se formos demasiado rápidos, aí será a nossa companheira a ficar insatisfeita... 

Infelizmente é demasiado fácil descuidarmo-nos e "sermos egoístas", como nos diz o jogo, porque se não mantivermos a velocidade necessária ao chegar ao ponto certo (quando testarem o jogo vão compreender melhor), é Game Over na certa.

Como disse o Lee Spons na sua análise ao jogo em 2015, por isso este deveria antes chamar-se Simulador Avançado de "Desculpa, mas isto não me costuma acontecer"...

A cada nova posição, mais excitado fica o nosso herói e mais difícil é conseguir o equilíbrio entre manter a nossa parceira no ponto sem lá chegarmos demasiado cedo, tornando-se o jogo cada vez mais frustrante ao avançarmos de nível em nível. Não será um desafio fácil, requerendo numerosas tentativas para chegar ao final, mas os autores esperam que com as novas adições já compense mais o esforço.


Destacamos o tema pouco comum em jogos de Spectrum e a abordagem mais correta ao mesmo (longe já vai - felizmente - a era dos Paradise Cafés e Sex Crimes), a história e os gráficos divertidos programados em código de máquina, para além do original tipo de letra.

Não será um jogo para todos já que, se não forem muito pacientes, a frustração poderá facilmente levar a teclados partidos (lembram-se do Decathlon?, é algo do género mas usando o teclado) e mesmo a normal atividade do jogo poderá ser perigosa para os vossos Speccys, aconselhando o Planeta Sinclair à utilização de alternativas mais seguras.

Como ser o "Rei do Sexo" (objetivo final desta nossa "aventura") não é tarefa para todos e, pelo que vimos online, poucos foram os que chegaram ao final do jogo, o especialista residente deste blogue decidiu entrar em ação. Este vosso escriba decidiu então fazer um vídeo (que podem ver logo no início do post) para que todos os jogadores menos capazes nesta arte do amor possam ver o que vos espera no final.

Em conclusão, se o Paradise Café já não tem para vós nada de novo, cometer um Sex Crime não é coisa que vos passe pela cabeça e visitar a Paprika House é coisa que ficou lá atrás nos vossos tempos de juventude, agora têm uma alternativa sex positive em que o objetivo (educativo!) é aprender a agradar a vossa parceira.

Nesta análise não daremos qualquer nota: primeiro por haver aqui um claro conflito de interesses, em segundo lugar por este não ser um novo lançamento e em terceiro lugar porque a simplicidade e rapidez com que se completa esta nova produção de Amore não dão para que esta seja comparável a outras produções que temos analisado por aqui nos últimos tempos.

Podem experimentar este novo (ou antes renovado) lançamento através deste link.

2 comentários:

  1. Sempre achei o Sex Crime um jogo á Benny Hill.
    Tenho de ver este ,mas sem duvida que o Paradise Café ,dava as explicações todas :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este é mais uma demo. Não lhe achei grande piada, sinceramente

      Eliminar