quinta-feira, 30 de dezembro de 2021

ZX Armor Alley


Nome: ZX Armor Alley
Editora: Fitosoft
Autor: Fito, Siyei
Ano de lançamento: 2021
Género: Estratégia
Teclas: Não redefiníveis
Joystick: Não
Memória: 48 K
Número de jogadores: 1

Desta vez temos um jogo ao nosso gosto: estratégia. A Fitosoft, isto é, Fito e Siyei, especializaram-se no desenvolvimento de jogos em Basic e ZX Armor Alley, mas este foge à regra. Tínhamos era algumas dúvidas que este jogo, a fazer lembrar Nether Earth em 2D, pudesse ser funcional. Mas não só é funcional, como constitui um desafio muito interessante, pelo menos até batermos o computador (aconteceu-nos à segunda, mas após estarmos mais de meia hora a mandar carga para cima do inimigo).

Embora o conceito pareça complexo, na realidade o jogo é muito simples. Existem duas bases, a nossa, à esquerda, e a dos inimigos (ou maus, como são chamados pelos programadores), à direita. O objectivo é conquistar a base adversária, mas isso apenas é possível conseguindo fazer chegar até ela um único tipo de unidade: o jeep.

Controlamos uma das unidades (o helicóptero, mais ou mesmo aquilo que o drone faz em Nether Earth). Através do helicóptero conseguimos ver o enorme campo de batalha e, mais importante, transportar os soldados que conquistam os bunkers. Assim que "convocamos" ou soltamos uma unidade, esta desloca-se da esquerda para a direita (as unidades do inimigo, ao contrário, obviamente). E que unidades são essas:

  • Helicóptero: permite visualizar o campo de batalha e transportar a infantaria, no entanto tem combustível e dano limitado, embora possa ser reabastecido e reparado na nossa base.
  • Soldados: capturam os bunkers dispostos no terreno, muito importante para se ganhar fundos (os bunkers geram dinheiro), e para dificultar o avanço inimigo.
  • Tanques: disparam aleatoriamente, destruindo as unidades inimigas, sendo fundamental para evitar que os jeeps inimigos capturem a nossa base.
  • jeeps: a única unidade que captura a base adversária, não tem poder de fogo, estando indefesa perante o fogo inimigo, por isso devendo ser acompanhada dos tanques (atenção que deslocam-se mais rapidamente que esses).
É portanto fundamental conceber uma estratégia que consiga equilibrar os fundos que vamos recebendo, com as unidades que estão no terreno. Optámos por no início tentar conquistar os bunkers, e só avançar com os jeeps, depois de mandar um forte contingente de tanques limpar o terreno adversário. Não vale a pena de início tentar conquistar a base inimiga, construindo à toa jeeps. A única coisa que vamos conseguir é delapidar os nossos fundos (cada unidade tem um custo e existe um número limite de unidades que podemos ter simultaneamente no terreno). 

Os gráficos são pouco mais que básicos, assim como o som, mas isso não é minimamente importante para um jogo com estas características. No fundo, a única coisa que sentimos falta foi a de se poder definir o grau de dificuldade, pois achámos o jogo demasiado fácil. Ou talvez estejamos muito habituados a este tipo de desafios. Seja como for, foi uma excelente surpresa, e embora não vá ser seguramente o vencedor da competição, faz muito boa figura no meio de todos os outros jogos de arcada.

2 comentários:

  1. Olá Andre. Certamente não deveria ter apresentado o jogo porque o nível gráfico é muito infantil. Eu apenas tentei dar a você uma estratégia em tempo real com alguns parâmetros e vantagens que você deve controlar. Fico muito feliz em ver que você conseguiu entender cada uma das funcionalidades. É um jogo para entretê-lo um pouco. Uma saudação e um abraço. fito

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo contrário, fizeste muito bem em colocar o jogo. É diferente, é inovador, e gostei bastante. Os gráficos são apenas um pormenor, que para este tipo de jogo nem sequer é o mais importante. Abraço :)

      Eliminar